Ser voluntário é dedicar-se em prol da sociedade

Troca mútua de valores: doa-se tempo e energia e em contrapartida ganha-se experiência e o sentimento de ser útil

Neste dia 28 de agosto, Dia Nacional do Voluntariado, queremos parabenizar a todos os cidadãos que fazem parte da história da Fundação Republicana Brasileira como voluntários. Não será preciso citar nomes ou números de quantas pessoas já passaram por aqui porque já foram muitas nesses mais de XX anos da Fundação – tanto na nossa sede em Brasília, como na Subseção em São Paulo – e o mais importante é dizer: muito obrigado!

Ser voluntário é trabalhar visando a melhora da vida em comunidade, doando tempo e produção, de forma não remunerada, com foco no desenvolvimento de ações motivadas por valores como vontade de ajudar, responsabilidade social e solidariedade. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), voluntário é o jovem, adulto ou idoso que, devido ao seu interesse pessoal e seus conceitos de cidadania, dedica parte de sua rotina sem monetizar, a diversas formas de atividades de bem-estar social.

O primeiro requisito para a prática é o amor, seguido da empatia e do desejo de ajudar ao próximo. Pode-se pensar que o ato sem retorno financeiro é desnecessário, mas aqueles que se dedicam sabem que o pagamento é ajudar ao próximo.

Para o presidente da FRB, Rusembergue Barbosa, voluntariado é uma iniciativa que gera oportunidades de mobilização, participação e transformação na prática: “possui como objetivo permitir que o cidadão atue nos mais variados gêneros e segmentos, mas todas as ações são voltadas para a melhoria da sociedade como um todo”.

O líder destaca que na Fundação a prática é incentivada porque valoriza-se a importância da contribuição social cidadã em prol da comunidade. “Ser voluntário requer da pessoa disposição, tempo e solidariedade, pois é uma atividade que traz benefícios tanto para a sociedade como para o indivíduo que a executa, sendo uma troca mútua de conhecimento”, ressalta.

A ação é uma contribuição social que também pode ser um primeiro passo para o crescimento profissional.  No quadro de funcionários da entidade há muitos colaboradores que começaram voluntariamente e com dedicação acabaram conquistando espaço dentro da instituição. Telma Franco, ex-presidente da FRB e atualmente diretora administrativa da Faculdade Republicana, mantida pela Fundação, acredita que o serviço é uma troca em que quem trabalha aprende e também ensina. Ela explica que a Fundação Republicana Brasileira nasceu com a ajuda voluntária de militantes do Republicanos que se ofereciam para produzir e contribuir mais com a entidade partidária, um esforço que passou a ser ainda mais reconhecido. “Começamos a ter como prioridade, dentro da FRB, a valorização do voluntariado, para que a pessoa sentisse que a sua contribuição para a sociedade também a fazia crescer como profissional. Então por que não reconhecer e fazer uso dessas competências? Porque além de trocar experiências e ajudar as pessoas a crescerem, a ação também prepara cidadãos melhores”, ressalta. Ela trabalhou como voluntária na FRB durante oito meses e logo após esse período foi efetivada. “Me sinto prestigiada, porque atuei voluntariamente para uma instituição na qual acreditei, a vi crescer e que me valorizou como pessoa e profissional. A Fundação acreditou em mim e eu acreditei nela. Esta parceria deu certo”, afirma.

Para a gerente administrativa da FRB, Gabrielle Assumpção, ajudar uma instituição que busca melhorar a qualidade de vida das pessoas é gratificante. “Quando eu comecei a fazer esse tipo de trabalho, não sabia que seria tão importante para o meu crescimento profissional e pessoal. Gostei muito da experiência”, disse. Ela atuou voluntariamente durante um ano na Fundação por um ano antes de ser efetivada e acredita que os projetos que a instituição realiza são fundamentais para os brasileiros. “Eu tenho a absoluta certeza de que não só contribuí para o crescimento da FRB, mas contribui também para um futuro melhor do nosso país”, destaca.

Se você deseja contribuir de alguma maneira com seu tempo e talento, entre em contato com a FRB, através do número: (61) 3321-1112 e saiba mais sobre a oportunidade. Ser voluntário é uma ótima oportunidade de ajudar os outros e fazer a diferença, além de acrescentar conhecimento e experiências ao currículo profissional.

Parabéns a todos os voluntários que se dedicam com muito amor, energia e vontade de ajudar em cada tarefa!

Texto: Raquel Ferreira /Ascom FRB

Colaboração: Ellen Fernandes e Mazé Rodrigues / Ascom FRB

Foto: Agência BG10

Governo Digital e o fortalecimento dos direitos de quarta geração

Com o advento da evolução constante das plataformas digitais e tecnológicas em todo o mundo é de se apostar que as diferentes e inovadoras transformações poderão, sim, auxiliar o serviço prestado pela Administração Pública.

A exemplo, no dia 29 de março de 2021, foi sancionada a Lei n° 14.129 a qual dispõe sobre princípios, regras e instrumentos para o Governo Digital, melhorando assim a eficiência e o funcionalismo da máquina pública.

A lei tem como objetivo aprimorar a qualidade da prestação de serviço a partir da desburocratização, da inovação, da transformação digital e da participação do cidadão, fortalecendo e simplificando a relação do poder público junto à sociedade, disponibilizando os serviços de forma acessível e por meio de plataformas digitais, tal disponibilização será executada em plataforma única de acesso às informações e aos serviços públicos.

Na era da modernização, um dos aprimoramentos observados com a implementação da Lei n° 14.129, os cidadãos poderão solucionar demandas de serviços públicos por meio digital sem que haja a necessidade de comparecer, essencialmente, aos órgãos públicos. Essa maneira de pensar pode estar atrelada ao modo de vida diferenciado que passamos a adotar com a ocorrência da pandemia da Covid-19, ou seja, tivemos um start de como aprender a utilizar os meios digitais para trabalhar e resolver problemas.

Além disso, os cidadãos ao se empoderar desse sistema têm maior possibilidade de exercer controle e fiscalização monitorada da qualidade dos serviços prestados pela Administração Pública, isto é, o cidadão-usuário será um fiscal dos serviços prestados de forma contínua. Em contrapartida, os gestores públicos terão a oportunidade de disponibilizar de modo transparente, claro e compreensível as informações dos órgãos e entidades prestadoras de serviços públicos, compartilhando todos os dados de forma segura.

Esses princípios e regras são fomentados de modo a corroborar com o exercício de prestação de contas que a Administração Pública tem para com a sociedade civil. Sem contar que tais mecanismos contribuem para a lógica da gestão eficaz, tão bem compreendida pela ideologia republicana.

Atrelar o senso de responsabilidade da gestão eficaz com os princípios da administração como o de publicidade, transparência e eficiência é de alta relevância, ainda mais, quando explorados com os ideais do Governo Digital.

Sob outra perspectiva ainda alinhada com o debate em questão, pode-se atrelar às conquistas anunciadas pelos os direitos advindos da quarta geração, quais sejam eles: direito à democracia, informação e pluralismo. Além dos direitos civis, políticos e sociais adquiridos pelo indivíduo no decorrer da consolidação do Estado Democrático de Direito, a proposta do Governo Digital se conecta essencialmente com o fortalecimento da prática democrática, no que tange à construção de espaços de debates plurais, da disseminação de informações relevantes para o conhecimento das atividades realizadas pela administração pública, o que fortalece a credibilidade das instituições democráticas.

Outro ponto de grande importância dentro dessa discussão é a transposição de informações, com o marco da Lei de Acesso à Informação, a qual será incrementada com as prerrogativas propostas da lei sobre o governo digital. A acessibilidade dos usuários-cliente às informações produzidas pelos órgãos e instituições públicas será assegurada devidamente.

E ante a tudo isso, a ideia de disponibilizar as informações a toda sociedade pode ser exemplo da prática da ideia plural de inserir toda a população brasileira neste processo de desenvolvimento do governo digital.

A grande ideia é atender às necessidades sociais com a evolução das novas plataformas virtuais, acompanhando a agilidade e simplificação dos processos da administração pública, ao passo que, ao mesmo tempo, proporciona a universalização do acesso e do autosserviço.

Tais prerrogativas são embasadas pelo respeito à coisa pública, dos interesses coletivos em detrimento das demandas individualistas, explorando ferramentas tecnológicas que possibilitam esse rearranjo moderno proposto pelo Governo Digital.

Fonte: Núcleo de Estudos e Pesquisas (NEP) / FRB

18 de agosto – Dia Nacional do Estagiário

O estágio é o período para aprender a teoria na prática e desenvolver competências profissionais

Nesta quarta-feira, 18 de agosto, comemora-se o Dia Nacional do Estagiário. A formação de um profissional começa na sala de aula, mas precisa de prática para aprender como realmente é a realidade da profissão. A Fundação Republicana Brasileira acredita e atua para o desenvolvimento humano e social, focada na formação de cidadãos conscientes, e por isto acredita que unir o conhecimento acadêmico a atividades da profissão é essencial para o desenvolvimento da capacitação técnica.

De acordo com a Lei nº 11.788/2008, o estágio “é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa a preparação para o trabalho produtivo de educandos que estejam frequentando o ensino regular em instituições de educação superior, de educação profissional, de ensino médio, da educação especial e dos anos finais do ensino fundamental, na modalidade profissional da educação de jovens e adultos”. Ou seja, é essencial para a formação dos futuros profissionais.

O estagiário do Núcleo de Estudos e Pesquisa (NEP) da Fundação, Arthur da Silva dos Santos, é estudante do curso de Ciência Política (5° semestre) da Faculdade Republicana e está na FRB há quatro meses. Ele afirma que estagiar nessa área é importante porque contribui imensamente para o seu conhecimento prático das atividades teóricas que estuda em sala de aula. O estudante atua no apoio para o desenvolvimento de demandas como pesquisas, artigos e análise de fatos sociais e políticos: “Estagiar na Fundação está sendo motivador, aprendo a cada dia e todo o conhecimento adquirido é um degrau a mais na escada da minha formação profissional”.

A função do estagiário de hoje não é mais aquela figura conhecida por trazer cafezinho ou somente tirar cópias. O processo é um período de prática e aprendizagem profissional ligada à área de estudo do aluno, sendo uma via de mão dupla: ao mesmo tempo em que o estudante ganha experiência nas tarefas, contribui com a instituição onde atua. É importante que o aprendiz aproveite o período para aplicar competências que farão a diferença no mundo do trabalho.

Para a auxiliar do Departamento Pessoal da Fundação, Jucélia Alves, a inclusão de estagiários nas instituições é essencial para o progresso do estudante e também para o quadro de funcionários: “possibilita para a empresa o recrutamento de novos profissionais que podem vir a ser novos talentos que contribuem de forma significativa para o crescimento da instituição”.

História

O Dia Nacional do Estagiário foi criado com a publicação do Decreto nº 87.497, em 18 de agosto de 1982, revogado em 2019. Mas a data comemorativa continua sendo lembrada até hoje. A lei que rege os estágios no país é a de nº 11.788/2008.

 

Texto: Raquel Ferreira / Ascom FRB

Foto: Agência BG10

Diferentes ideias, um só caminho – Jovens Republicanos realizam congresso virtual para todo o Brasil

Palestras diversas, debates e o aprofundamento dos temas por meio de um bate-papo

 

Brasília (DF) – “II Congresso Nacional do Jovens Republicanos – diferentes ideias, um só caminho”, este foi o tema do evento realizado pelo Jovens Republicanos neste sábado (14). Por respeitar as regras sanitárias em relação à pandemia da Covid-19 e preservar a vida de cada participante, o Congresso foi transmitido na modalidade on-line gratuitamente para todo o Brasil. O objetivo do encontro foi a formação de novos líderes e a preparação para as eleições de 2022. Foram confirmados mais de 5 mil inscritos para os debates e palestras.

O evento foi dividido em duas etapas: na matutina a programação foi recheada de palestras com temas de extrema relevância para o desenvolvimento dos jovens que querem contribuir com a sociedade brasileira. O secretário do Jovens Republicanos, Renato Junqueira, abriu o congresso ressaltando a importância do encontro: “’Diferentes ideias, um só caminho”; o tema do nosso evento mostra como o Republicanos respeita as diferenças e procura progredir para as mudanças significativas. É na moderação e na prudência que construímos pontes para o futuro, isso é evolução, nós conservadores defendemos a evolução e não a revolução”, ressaltou.

A Fundação Republicana Brasileira (FRB) é um braço estendido do partido que preza pela promoção cultural e da educação, sendo assim, oferece cursos gratuitos para a comunidade, por isso, não poderia ficar de fora de um evento que visa preparar futuros líderes para o país. A instituição foi a co-organizadora do encontro, como comenta o presidente Rusembergue Barbosa: “Saibam que é uma grande satisfação para a FRB investir em educação política, apoiar e disseminar o diálogo com a juventude. São vocês, jovens, os grandes responsáveis pela transformação do agora para o amanhã. Os desafios pela cidadania serão muitos, mas vocês podem e devem fazer a diferença”.

O presidente nacional do Republicanos e deputado federal, Marcos Pereira (SP), prestigiou o evento e incentivou os jovens por seu engajamento: “Mais de 5 mil inscritos no Congresso, isso mostra que o movimento Jovens Republicanos tem uma relevância muito grande para o futuro do partido, para o futuro da política brasileira. Por isso, que os jovens são o futuro na Nação, o futuro das profissões”, afirmou.

Na ocasião o presidente Marcos Pereira ainda fez um convite especial para os jovens que anseiam por uma mudança efetiva no país: “E você que é jovem, que é do bem e que está disposto a discutir políticas públicas para os jovens, políticas públicas para o desenvolvimento do seu estado, do país, junte-se a nós, porque aqui é o lugar certo para você estar”, ressaltou.

Também estiveram presentes no Congresso o secretário nacional do Republicanos, Evandro Garla, a secretária nacional do movimento Mulheres Republicanas e deputada estadual, Tia Ju (RJ) e o secretário nacional do Idosos Republicanos, deputado federal Ossesio Silva (PE).

As mudanças precisam ser feitas na base, principalmente educacional, para diminuir as desigualdades sociais a partir da igualdade no ponto de partida de cada um, por isso é essencial a qualificação do cidadão, como defendeu Emilly Coelho, secretária nacional da juventude do Governo Federal: “A gente precisa cada vez mais se capacitar e nós, jovens, precisamos disso. A gente tem à nossa disposição, hoje a disponibilidade de informação, só que tem um baque muito interessante, todo o consumo que a gente faz pelas redes sociais e pela internet, sendo que 85% desse consumo é só para entretenimento, então muitas vezes a gente tá dentro do mercado, está junto com o mercado mas não está informado e a gente não está usando este ativo que a gente tem a nosso favor que é a tecnologia para nos qualificar”, afirmou.

E como a educação sempre faz parte da transformação de uma sociedade, não poderíamos deixar de mencionar a participação do diretor-geral da Faculdade Republicana, Valdir Pucci, que falou da importância de jovens bem preparados e qualificados profissionalmente: “Eu acredito que nada é mais próximo da juventude do que é a educação. É um momento em que vocês estão se consolidando, estão buscando um futuro político, pessoal e profissional de vocês e todos estes aspectos passam pela educação. Quando a gente discute diferentes ideias e um só caminho, nós estamos abertos ao debate, a discussão, mas sempre buscando um único caminho, uma única forma de conversar com a sociedade”, afirmou.

O sociólogo Fábio Gomes palestrou sobre a “Construção de reputação e liderança: pilares de candidaturas viáveis”, que trouxe uma análise social citando contextos sociais e políticos, desde a época antiga, era de Aristóteles até os dias atuais: “Nessa época de polarização, em que se observa o extremismo político, a melhor forma de participar é propondo soluções práticas e discutindo resultados que as pessoas esperam com o discurso feito de forma que as pessoas entendam”.

Igor Calvet, presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), que esclareceu dúvidas sobre “Os impactos do 5G nas políticas públicas”. “O 5G trará grandes benefícios para a sociedade sobretudo em termos de serviços públicos e nós precisamos em virtude dessa tecnologia nos adequar como gestores públicos capacitados que possam dar conta de acompanhar essas tecnologias e sermos antenados com essas modificações e que consigam fazer com que o seu espaço de atuação política seja influenciado positivamente.”.

Palestras e debates
Na segunda parte do evento, abrimos com a palestra “Cabeça do eleitor: reflexos da pandemia e polarização”, e quem explicou sobre o assuntou foi o cientista político e diretor-geral da Faculdade Republicana, Valdir Pucci. “Hoje, nós temos um eleitor que o chamamos de intuitivo e não racional na sua essência. Essa pessoa vai votar com o princípio, sensibilidade e intuição pessoal. A imagem que o candidato passa para a pessoa é o que levará a votar nele”, afirmou.

O filósofo Paulo Cruz, fechou o ciclo de palestras falando sobre um tema sensível, mas necessário ser debatido: “É possível ser um negro conservador no Brasil?”, tópico este que apresentou as principais características do pensamento conservador negro, porque esta temática fará toda a diferença nas eleições de 2022. “Um tema que parece ser estranho para algumas pessoas, e tem uma característica ruim no Brasil. O negro que se considera conservador, ele ficar fora das discussões, porque o pensamento das pessoas é de que o negro tem que estar ligado a quem se diz lutar pelas minorias, como a esquerda, por exemplo. Mas, depois de muita pesquisa descobrir que o conservadorismo tem muita similaridade com o movimento negro no país”, comentou.

Mesmo com toda essa gama de informações, para finalizar o encontro, ainda tivemos os eixos de discussão, com diversos temas, como: Ensino e educação, fomento ao empreendedorismo, inovação e tecnologia, participação social e saúde mental. O partido e todos os seus movimentos do Republicanos têm trabalhado para estimular a inserção dos jovens na política e com isso é a nação que ganha.

Eventos realizados pelo Jovens Republicanos

Em 2016, foi realizado o 1º Congresso Jovem, na época ainda como PRB Junventude. Já em 2017 foi um ano diferente pois tivemos o Workshop Nacional da Juventude e em 2019 foi a vez do 1º Seminário Nacional de Jovens Líderes, sem contar que entre estes eventos de grande porte foram feitas lives educacionais.

Texto: Mazé Rodrigues / Ascom FRB
Colaboração: Raquel Ferreira / Ascom FRB
Revisão: Ellen Fernandes / Ascom FRB
Fotos: Carlos Gonzaga

LEI DO GOVERNO DIGITAL

Nos últimos anos, o Brasil tem investido na transformação digital de maneira aleatória e descoordenada, porém a pandemia colaborou para a aceleração deste processo de digitalização de todos os serviços públicos, o que corresponde ao objetivo da Lei nº 14.129/2021 – Lei do Governo Digital.

No mês de junho deste ano, a nova lei entrará em vigor na esfera federal. Em julho, abrangerá também os estados e o Distrito Federal e, em setembro, os municípios.

Será aplicada junto aos órgãos da administração pública direta e indireta, que prestem serviços públicos, além de autarquias e fundações públicas, dos Poderes Executivo, Judiciário e Legislativo, inclusive Tribunais de Contas e Ministério Público.

A nova legislação define normas e ferramentas para o fornecimento de serviços públicos de forma digital, os quais também deverão ser disponibilizados em aplicativos para celular, a fim de ampliar a eficiência da administração pública, por meio da desburocratização e da simplificação do relacionamento do poder público com a sociedade.

Pretende-se com isso, a universalização do acesso, a consequente redução de custos para a administração pública e a expansão de seus serviços, além do fomento à consolidação da cidadania, por meio da maior participação popular.

Também fortalece a transparência, a participação e o controle social da execução das atividades públicas, já que haverá o acesso livre aos dados – ressalvadas as restrições definidas em lei – e o monitoramento contínuo do cidadão dos serviços prestados.

O usuário utilizará o CPF (pessoa física) ou o CNPJ (pessoa jurídica) para acessar gratuitamente uma plataforma única, contendo informações e serviços públicos de cada ente federativo, sem necessidade de solicitação presencial.

Importante ressaltar que o atendimento presencial continuará existindo, conforme as características, a relevância e o público-alvo.

A finalidade do governo digital é que a população acesse o poder público para todos os serviços, com o estímulo ao uso das assinaturas eletrônicas nas interações entre os órgãos públicos e os cidadãos, conferindo validade legal às certidões, aos diplomas, aos atestados e a outros documentos.

O interessado poderá optar receber por meio eletrônico as notificações referentes à prestação de serviços e a assuntos de interesse público.

Os órgãos poderão criar laboratórios de inovação, abertos à sociedade, para a elaboração de conceitos, ferramentas e métodos inovadores para a gestão pública, a prestação de serviços públicos e a participação do cidadão no controle da administração pública.

Contudo, o Brasil tem um grande desafio na efetividade do governo digital: superar as desigualdades sociais e econômicas presentes no cenário nacional. Grande parte da população brasileira ainda não tem acesso à internet. O serviço é caro, muitos não possuem celular ou computador e ainda há aqueles que não sabem como acessar.

A Lei do Governo Digital certamente pode transformar a prestação de serviços públicos, entretanto, deverá estar alinhada à implementação de ações de educação digital, capacitação de servidores públicos e políticas públicas de ampliação do acesso à internet aos brasileiros.

Assim, haverá a eficiência do Estado na prestação de serviços integrados, transparentes e, principalmente, direcionado ao cidadão.

 

Centro de Apoio aos Municípios (CAM)

FRB oferece semana de palestras para parlamentares municipais de São Paulo, através do Centro de Apoio aos Municípios

O CAM oferece assessoria para o parlamentar que necessitar de ajuda em suas demandas, independente de partido político.

O I Encontro Municipal do Centro de Apoio aos Municípios (CAM), ofertado pela Fundação Republicana Brasileira (FRB), aconteceu na Subseção de São Paulo na semana entre os dias 26 a 31 de julho. O evento teve como finalidade levar informações úteis e viáveis para os prefeitos, vereadores e agentes públicos municipais sobre como conseguir ter suas demandas atendidas com mais celeridade, tendo como resultado o desenvolvimento das políticas públicas das cidades.

O CAM é um braço estendido da FRB para atender aos municípios, assim tentar desburocratizar a máquina pública do país, para que o recurso tenha a finalidade deseja que é a infraestrutura da cidade, como falou o presidente nacional do Republicanos e deputado federal, Marcos Pereira: “O CAM foi criado para auxiliar na burocracia de acesso aos recursos da união. Todos os parlamentares municipais podem se beneficiar e usufruir da assessoria do CAM, porque este trabalho é independente de partido político.”, ressaltou.

O evento teve duração de uma semana, porque o CAM se preocupou em atender cada cidade paulista de forma personalizada, por essa razão, cada dia de palestra foi dedicado para atendimento de uma região. Assim, todos os parlamentares do Republicanos de São Paulo foram munidos de informações sobre os processos que podem trazer benefícios para suas cidades.

Como anfitriã do evento a FRB sempre se mostrou focada no desenvolvimento humano e na formação de cidadãos conscientes, como enfatizou o presidente da FRB, Rusembergue Barbosa: “Reforço que ofertamos, por meio do CAM, assessoria política com produtos gratuitos e disponíveis em nosso site, como e-books direcionados a vereadores e prefeitos, fora material de apoio contendo artigos, estatísticas e pesquisas. Esse é o setor idealizado para viabilizar a comunicação entre ministérios e prefeituras”.

Também tivemos a presença de várias autoridades durante as palestras, como o presidente estadual do Republicanos de São Paulo, Sérgio Fontellas, o Coordenador da Subseção – SP, Eduardo Verrone, o Dr. Flávio Britto, a secretária nacional de Política para as Mulheres – MMFDH, Drª. Cristiane Britto, o secretário nacional de Mobilidade e Desenvolvimento Regional e Urbano, Tiago Pontos, entre tantas outras que se sentiram satisfeitas com o evento, como o deputado federal Celso Russomanno que expressou sua consternação: “O CAM foi criado por conta da dificuldade que os municípios tinham de encontrar os recursos para sua cidade, em Brasília. Este é o trabalho que o CAM oferece, achar nas secretarias nacionais estes recursos e apresentar para o prefeito.”, acrescentou.

A Fundação Republicana Brasileira não cansa de inovar e buscar sempre oferecer o melhor produto ao cidadão, por isso se tornou a primeira fundação partidária a abrir uma instituição de ensino superior, com a autorização do MEC: a Faculdade Republicana, que hoje dispõe de diversos cursos e parcerias, com uma equipe de docentes de alto nível e ensino de primeira qualidade. O diretor-geral da Republicana, Valdir Pucci, também participou do evento, de forma remota: “A criação da Faculdade Republicana mostra o quanto o partido Republicano se preocupa com a educação. Educação esta que é levar a faculdade a população. A Republicana também criou um curso para capacitar os gestores do país, que é a Republicana Incompany, porque entendemos que gestores bem capacitados são aqueles que podem ajudar a comunidade a se desenvolver.”

O evento termina com a certeza de dever cumprido, porque a FRB juntamente com os consultores do CAM, Mariana Pimentel, Danielle Salomão, engenheiro Ragi Chueri  e Elias Tavares estavam preparados e ofereceram todos os conteúdos que foram pesquisados e analisados por eles já há algum tempo.

CAM, levando alternativas viáveis para a melhoria da sua cidade.

Informativo:

O trabalho do Centro de Apoio aos Municípios está à disposição e quem desejar ser auxiliado pelo projeto, pode entrar em contato ou nos fazer uma visita agendada.
SEP Sul, trecho 713/913,lote E, Asa Sul, Brasília-DF
CEP: 70390-135
E-mail: cam@fundacaorepublicana.org.br
Telefone: (61) 3321-1112 e (61) 99506-3125 (WhatsApp)

Texto: Mazé Rodrigues – Ascom FRB

Fotos: Erick – Subseção-SP

 

Paraná recebeu a 4ª edição do Curso de Lideranças Femininas

O curso ministrado pela cientista política, Daniela Rabello, foi realizado na cidade de Cascavel

Cascavel (PR) – O frio de quase 1º grau não espantou as republicanas que marcaram presença na 4ª Edição do Curso de Lideranças Femininas, realizado no último dia 29, pela Fundação Republicana Brasileira (FRB), de forma híbrida (presencial e virtual), com o apoio do Mulheres Republicanas nacional, na cidade de Cascavel, no Paraná.

Com o objetivo de levar às mulheres capacitação e qualificação política, além dos conceitos de democracia, cidadania e política ética que, bem aplicados, podem fazer a diferença dentro da sociedade brasileira e mostrar que o lugar da mulher não é somente nos trabalhos domésticos, mas onde ela quiser estar, a cientista política Daniela Rabello realizou um debate a respeito do uso do tempo e do conhecimento político para compreender o processo de formação do pensamento social e cultural em torno da mulher.

Estiverem presentes a secretária nacional do Mulheres Republicana, a deputada estadual Tia Ju (RepublicanosRJ), a secretária estadual do movimento feminino, Marcilene Soares, a vereadora de Cascavel, Beth Leal (Republicanos), Cleocir Debiazi, secretária do Mulheres Republicanas de Cascavel, Graziela Gobbato, Secretária das mulheres Republicanas de Toledo, o vice-prefeito de Cascavel e Presidente Municipal do Republicanos, Renato Silva.

A vereadora Beth Leal, única mulher eleita pelo Republicanos na cidade, ressaltou o orgulho em ser uma das mulheres eleitas pelo partido no Brasil. “Tenho a felicidade de ser uma das 396 vereadoras do Republicanos no país e destaco a importância desse evento e de mais mulheres na política, o que é fundamental para que tenhamos equilíbrio em relação a política nacional, estadual e municipal”, disse Beth.

Já a secretária estadual falou da satisfação de ver a organização do evento em Cascavel e ressaltou a alta qualidade do curso ministrado pela Danielle Rabello.

“Quero aqui agradecer a secretária nacional Tia Ju, por enfrentar esse frio para estar conosco e trazer muito conhecimento e oportunidade para as mulheres do Paraná. Quero agradecer as mulheres que fizeram esse evento acontecer. Escolhemos essa cidade, porque em 2019 uma mulher forte foi escolhida para ser candidata aqui e a escolha foi a Beth Leal, que se espantou com a escolha, mas foi eleita em 2020 com o maior número de votos. Enfim, talvez a mulher pense da mesma forma e até duvide do seu potencial, mas temos a certeza e estamos aqui para comprovar que é possível fazer a diferença na política. Já de pronto, te convido para ser 10 com a gente”, disse Marcilene.

Tia Ju, que faz questão de participar presencialmente de todas as edições do curso, afirmou que o papel da mulher na política é fundamental e que as decisões de políticas públicas para mulheres tem que ser tomadas por mulheres.

“É com muita alegria e satisfação que eu e minha equipe estamos mais uma vez em mais uma edição do curso de lideranças femininas. Independente do frio em Cascavel, eu já sabia que no Republicanos sempre tem muito calor humano e de fato sentimos esse calor com o carinho e receptividade de todos. Quero agradecer em especial ao nosso presidente nacional, o deputado Marcos Pereira, que sempre nos impulsiona, nos estimula não só com palavras, mas com atitudes. Essas palavras comprovam o crescimento das mulheres na política que tivemos Republicanos”, disse ela, ressaltando que o curso tem a capacidade de fazer as mulheres entenderem o seu papel na política e disse que “não se pode mais pensar em política sem a figura da mulher, sem pensar em políticas públicas para nós”.

O curso de lideranças femininas vem sendo oferecido pela Fundação Republicana Brasileira em diversas regiões do país, como o Ceará, Rio Grande do Sul, Goiás e agora foi a vez do Paraná.

Texto: Ascom – Mulheres Republicanas
Foto: Cedida

FRB mais próxima dos cidadãos paulistas por meio da Subseção-SP

Balanço semestral Subseção SP

A Fundação Republicana Brasileira lançou em fevereiro de 2014 a primeira Subseção em São Paulo (SP). A unidade realiza cursos com temas políticos, simpósios e palestras, além de disponibilizar gratuitamente curso de inglês.

No primeiro semestre deste ano, dentre as diversas atividades desenvolvidas, a unidade produziu oito cursos de Política, Lideranças Femininas e Inglês, auxiliando na formação de mais de 1.500 cidadãos.

  • 11/02: Construção de Projetos Políticos – Público:
  • todo o estado de São Paulo – 386 participantes
  • 01/03: Novo curso de inglês – 70 participantes
  • 08/03: Curso de Lideranças Femininas – Público: todo o estado de São Paulo – 115 participantes
  • 01/04: Construção de Projetos Políticos – Público: Bauru/SP – 124 participantes
  • 26/04: Construção de Projetos Políticos – Público: Interior Paulista/SP – 294 participantes
  • 17/05: Construção de Projetos Políticos – Público: Sorocaba/SP – 73 participantes
  • 14/06: Curso de Lideranças Femininas – Público: Interior Paulista/SP – 52 participantes
  • 29/06: Construção de Projetos Políticos – Público: Piracicaba/SP – 413 participantes

O coordenador da Subseção SP, Eduardo Verrone, explica que a procura pelos cursos tem crescido atualmente e que a expertise dos palestrantes faz toda a diferença. “Percebemos que a população está com mais sede de conhecimento, buscando cursos que atendam suas necessidades. Possuímos palestrantes altamente capacitados para auxiliar cada vez mais no desenvolvimento de cada cidadão”, afirma.

Caso você seja de São Paulo e tenha interesse em conhecer o trabalho ofertado pela Subseção-SP da FRB entre em contato:

Telefone: (11) 3342-5160 / 5161

E-mail: secretariafrbsp@fundacaorepublicana.org.br

Texto: Raquel Ferreira / Ascom FRB

Revisão: Ellen Fernandes

Foto: Arquivo FRB

 

 

Ato de amor: FRB promove campanha de doação de sangue

Fundação reúne colaboradores para aumentar banco de sangue do Hemocentro de Brasília

 

Brasília/DF – A Fundação Republicana Brasileira (FRB) levou parte de seu corpo de trabalho para doar sangue na Fundação Hemocentro de Brasília (FHB), que perdeu cerca de 33% do banco de sangue em comparação ao mesmo período do ano de 2020.

A campanha faz parte da celebração do Dia Mundial do Doador de Sangue, comemorado em 14 de junho. A iniciativa partiu da instituição depois de observar esta queda no número de doadores e sabendo que diante desta pandemia a necessidade por plasma aumentou nas redes de saúde do Distrito Federal (DF). E para contagiar toda a família republicana a FRB também angariou doadores do partido Republicanos. Os grupos fecharam parceria com a entidade para ingressarem na ação solidária.

O presidente da FRB, Rusembergue Barbosa, também marcou presença no evento e falou sobre a importância de atos como este, “O maior ato de solidariedade é doar ao próximo, por isso estamos aqui no Hemocentro de Brasília para doarmos algo tão simples, mas que pode salvar muitas vidas. Doar sangue é um ato de amor.” comentou.

Uma das instituições que tem convênio e é beneficiada com as doações do Hemocentro é o Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB). Muitas crianças passam pela instituição para tratamentos que envolvem transfusão sanguínea. Em 2020 foram realizadas em média 210 transfusões por mês em regime ambulatorial e 323 por mês em regime de internação. Lucineia Lins é uma das mães que leva regularmente a filha para receber transfusão de sangue para o tratamento da doença falciforme. Ela leva sua filha Laura a cada 21 dias ao hospital e afirma que a doação de sangue, feita no Hemocentro, é fundamental para o tratamento: “Eu quero agradecer as pessoas que doam, elas são muito importantes para nós, tanto eu como outras mães somos muito agradecidas. Continuem doando, vocês não fazem ideia de como isso é importante para nós. Quando você doa é amor, tanto para o doador como para quem recebe”. A FHB também é responsável por todo o abastecimento de sangue da rede pública de saúde do DF.

Os colaboradores que fizeram parte desta ação se sentiram recompensados com esta atitude altruísta, como comenta a Juscélia Alves, “Eu acho importante ajudar as pessoas,  quem precisa. Um ato de amor, de solidariedade ajudar o próximo, o que hoje em dia está fazendo falta.”

Segundo a diretora técnica do HCB, oncologista hematologista Isis Magalhães, a doença falciforme é uma doença hereditária, passada de geração em geração, e é muito prevalente em nosso país, com um caso a cada 1.200 nascimentos. “Hoje, já é contemplada no teste do pezinho em quase todo o território nacional – a gente busca um diagnóstico precoce.”, explica em entrevista ao podcast Rádio Dodói, produzido pelo Hospital da Criança de Brasília.

Segundo dados do Ministério da Saúde, no Brasil são realizadas, em média, cerca de 3 milhões de doações de sangue por ano na rede do Sistema Único de Saúde (SUS). Devido à pandemia da Covid-19, em 2020, o número de doações caiu cerca de 10%. Foram 2,9 milhões de doações realizadas no ano passado.

 

Texto: Ellen Fernandes – Ascom FRB

Colaboração: Mazé Rodrigues / Raquel Ferreira – Ascom FRB

Fotos: Carlos Gonzaga – Ascom FRB

A busca por informações concretas a respeito de uma sociedade, Estado ou província, não é algo novo. Data-se que o Censo mais antigo do mundo foi realizado pela China, a 2.238 anos a.C., a pedido do imperador Yao com o intuito de levantar informações da população e de áreas cultivadas. No Brasil, o histórico é marcado por um início bastante tardio, haja vista, que a primeira edição ocorreu apenas em 1871, de lá para os dias atuais, três recenseamentos deixaram de ser realizados, trazendo grandes prejuízos para a nação.

Para a idealização de um Brasil estratégico, isto é, que responda às problemáticas sociais de modo efetivo, é preciso que haja alocação correta de recursos e fomentos em localidades específicas, já que o Brasil é um país com vastidão continental e carregado de características diversas, nesse sentido, o Censo contribui significativamente para o fornecimento de dados e estatísticas precisas sobre aspectos relevantes da população.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é um órgão público pertencente à administração pública o qual tem como objetivo fornecer dados e informações concernentes ao território e população do país. O Censo é um elemento crucial para a elaboração de políticas públicas, funciona como um guia para as ações do Estado brasileiro, segundo fala do ex-ministro da Saúde, Teich, “sem dados se criam políticas públicas com base na impressão, não se sabe se está criando algo efetivo.”

Tal levantamento pode auxiliar na gestão eficaz de políticas públicas que busquem solucionar problemáticas sociais diversas distribuídas pelas diferentes regiões brasileiras. A título de exemplo, o levantamento dessas informações foi crucial para a implementação de políticas públicas direcionadas ao público feminino. Os dados do IBGE revelam que em 2018, após 12 anos da promulgação da Lei Maria da Penha, que ocorreu em 7 de agosto de 2006, verificou-se que apenas 2,4% dos municípios ofereciam casas-abrigo para mulheres em situação de vulnerabilidade e violência. Foi por meio desta constatação que criou-se subsídios para que as diferentes esferas do poder pudessem formular ações, visando superar ineficiência da implementação da política.

Atualmente, a gestão governamental do presente governo está enfrentando um impasse decisivo quanto à realização ou não do Demográfico, o qual, de acordo com o protocolo gerencial público, deveria ter sido realizado no ano de 2020, cumprindo o intervalo de 10 anos entre cada um. Entretanto, a grave crise sanitária advinda da pandemia da Covid-19, foi a causa da prorrogação para o ano seguinte.

Diante dessa mesma ideia, ainda a discussão sobre a realização do Censo é uma questão a ser respondida, se deve ser realizada neste ano e na atual circunstância ou não, já que a pandemia não cessou. Para resolver a problemática, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o 2021 deve ser realizado, pautando-se no argumento de que o cancelamento vai contra o texto constitucional.

Em seu pronunciamento, o ministro Marco Aurélio (STF) argumentou que a União e o IBGE, ao deixarem de realizar o levantamento desses dados no corrente ano, em decorrência da falta de verbas, descumprem o dever de organizar e manter os serviços oficiais de estatística abrangência nacional. Como desfecho, no dia 28 de abril o ministro determinou que o governo federal adote as medidas necessárias para a realização do Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O atraso em se tomar a decisão para que ocorra o Censo demográfico, neste exato momento, acarreta retardo na elaboração de projetos e políticas que possam, sim, responder a sociedade e que traga dados que permitam que o combate ao coronavírus seja mais eficiente a médio e longo prazo.

Deste modo, avaliando a complexidade que envolve a coleta de dados para o fomento de pesquisas que respondam às problemáticas brasileiras, o Censo Demográfico é um grande insumo para o desenvolvimento de projetos e políticas por parte dos dirigentes e para a administração pública.

Em suma, a importância da realização da pesquisa para auxiliar na resolução de questões sociais inerentes à população brasileira, ainda mais tratando-se de políticas públicas correlatas a gestão da Saúde, que englobam, o enfrentamento à pandemia, que hoje é de essencial relevância para a construção de um Brasil estratégico.

 

Texto: Núcleo de Estudos e Pesquisas (NEP)

Sede

SEP Sul, Trecho 713/913, Lote E, Edifício CNC Trade, Asa Sul, Brasília – DF, CEP: 70390-135

E-mail: contato@fundacaorepublicana.org.br
Telefone: (61) 3321-1112

Subseção São Paulo

Av. Indianópolis, 2025 – Planalto Paulista – CEP: 04063-003

E-mail: secretariafrbsp@gmail.com

Telefone: (11) 5594-0184 / (11) 3342-5160 / #5175

× Fale Conosco.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

LEIA COM ATENÇÃO:

Para efetivação da sua matrícula no Curso de Idiomas do ano de 2020, segue a documentação necessária:

  • RG – Original
  • CPF – Original
  • Foto 3×4 – Atualizada
  • Comprovante de Residência – Original (máximo 90 dias de emissão)
    • O comprovante de residência deve estar em seu nome, ou faça uma declaração, informando o seu endereço residencial e registrá-la em cartório.
  • Comprovante de renda – Original

IMPORTANTE:

Somente é válido como comprovante de renda o seu Contracheque ou Declaração de Serviço Autônomo que deve ser registrada em cartório.

Ausência de Renda: Você deverá escrever uma Declaração informando que não possui renda e também registrá-la no cartório.

Adriana Costa Bezerra
Diretora Administrativa da Subseção de São Paulo
“Paulistana”
GERAL
Adriana Costa Bezerra é paulistana e nasceu no dia 7 de abril. Graduada em Comunicação Social – Jornalismo pela Universidade Nove de Julho (Uninove), tem experiência também em outros setores, como administração e finanças.
FORMAÇÃO
Jornalismo – Universidade Nove de Julho
EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL
  • Adriana tem ampla experiência na área administrativa e também com atendimento ao público. Já trabalhou em várias empresas nacionais;
  • Assessora Parlamentar na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro;
  • Tesoureira no Partido Republicano Brasileiro (PRB) de São Paulo;
  • Experiência em projetos sociais voltados para a juventude;
  • Coordenadora de Redação na Rede Mulher de Televisão;
  • Atualmente é Diretora Administrativa da Subseção da Fundação Republicana Brasileira (FRB) em São Paulo.

Eduardo Verrone
Coordenador

Eduardo Verrone nasceu na cidade de São Paulo, é casado há mais de 35 anos com Cristina Verrone e tem uma filha, a Jackeline.

Profissional da área de comunicação social, atuou com TV, rádio e jornal atendendo demandas de diferentes países como Brasil, Panamá, Honduras, Colômbia e Uruguai. Participou de palestras de desenvolvimento pessoal na Argentina e Estados Unidos.

Formando em Ciências Políticas pela Uninter, ingressou na política em 2016 como coordenador de mídias e assessorando a presidência estadual do Partido Republicano Brasileiro em São Paulo.

Como coordenador da subseção da FRB, posto que assumiu desde 2019, está intensificando os trabalhos e ampliando o número de realizações de cursos e palestras em todo o Estado. O objetivo é colaborar com a formação educacional de paulistas e paulistanos por meio dos conceitos da boa política, cidadania e gestão pública.

 

Mariluce Rodrigues Siman de Oliveira
Instrutora
Paulista
Itapevi (São Paulo)
GERAL
Mariluce Rodrigues é natural da cidade de Itapevi, São Paulo (SP). Nasceu no dia 12 de maio. Graduada em Letras (Português/Inglês), com certificados avançado e de proficiência de Língua Inglesa da Universidade de Cambridge. Especialista em Tradução e Versão e em Fonética e Pronúncia Inglesa. Iniciou a carreira bilíngue como secretária de empresa multinacional. Leciona Língua Inglesa desde 1998. Com o objetivo de aprimorar o idioma morou três anos em Londres. Após concluir seus estudos viajou por diversos países da Europa e conheceu diferentes sotaques e culturas. Pós-graduanda no ensino de Inglês como segunda língua com certificado internacional.
FORMAÇÃO
  • Graduação – Em Letras (Português e Inglês) – UNIFIEO de Osasco/SP
  • Pós-Graduação – No Ensino de Inglês como Segunda Língua com certificado internacional (Bridge IDELTTM )
Especialização:
  • Especialização em Tradução e versão – PUC/SP e em Fonética e Pronúncia Inglesa – City Lit Londres
  • CAE – Certificado Avançado de Língua Inglesa da Universidade de Cambridge
  • CPE – Certificado de Proficiência de Língua Inglesa da Universidade de Cambridge

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

  • Mariluce tem ampla experiência em rotinas administrativas de empresas e escolas.
  •  

    Exerceu a função de docente em escolas públicas, privadas (SKILL, CNA, Memphis Inglês, Top Idiomas e Berlitz) e empresas. Ela também atua em Coordenação Pedagógica.

Rusembergue Barbosa de Almeida
Presidente
Brasileiro, 57 anos
Natural de Graça Aranha (MA)
presidencia@fundacaorepublicana.org.br
GERAL

Nascido em Graça Aranha (MA), no dia 29 de novembro de 1963, Rusembergue possui formação em Direito pela PUC Goiás e é pós-graduado em Direito Administrativo pelo Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP). Casado com Ana Maria Ribeiro de Almeida, o maranhense é um dos fundadores do Republicanos e primeiro presidente do Diretório Municipal do Partido Republicano Brasileiro (até então PRB) de Goiânia (GO), vereador e vice-presidente da Câmara Municipal da capital goiana. Também atuou como secretário e chefe da Ouvidoria da Câmara Legislativa do Distrito Federal, além de desempenhar a função de secretário da Comissão de Assuntos Sociais da CLDF. Atualmente ocupa a presidência da Fundação Republicana Brasileira - FRB.

FORMAÇÃO
  • Graduado em Direito pela PUC Goiás
  • Pós-Graduado em Direito Administrativo pelo Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP)
João Paulo Teixeira
Diretor Administrativo
Brasileiro, 33 anos
Natural do Coromandel (MG)
GERAL

João Paulo Teixeira é natural de Coromandel (MG) e nasceu no dia 4 de novembro de 1985. É graduado em Ciências Contábeis pelo Centro Universitário Unieuro, de Brasília (DF). O contabilista é conhecido por sua responsabilidade e credibilidade.

FORMAÇÃO

  • Ciências Contábeis – Centro Universitário Unieuro

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

  • Assessor Parlamentar
  • Assistente Financeiro
  • Auxiliar Administrativo
  • Representante de Vendas
  • Diretor Administrativo
Rabiu Rufayi
Instrutor
GERAL

Rabiu Rufayi é natural da República do Gana, país popularmente conhecido apenas como Gana, situado na África Ocidental. Nasceu no dia 5 de julho de 1985. Além dos idiomas Ga, do seu país de origem, e inglês, também fala hausa e mais dezenas de dialetos.

FORMAÇÃO

  • Tecnologia e Informática - Escola Indiana NIIT Technologies,
  • Artes Visuais - Escola Master Servis
  • Hardware, Tecnologia de Sistemas e Rede de Computadores - Presbiteriana.

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

Rabiu iniciou sua carreira como professor de Língua Inglesa, ministrando aulas de multimídia em informática. Foi professor na escola de idiomas Uptime, na disciplina de Comunicação em Inglês. Há três anos estabeleceu residência fixa no Brasil. Atualmente é instrutor de inglês na Fundação Republicana Brasileira (FRB).

Mário Enrique Rodriguéz Fernandéz
Instrutor
GERAL
Mário Enrique Rodriguéz é natural da cidade de La Habana (Cuba) e nasceu no dia 21 de junho de 1975. Cursou Licenciatura em Língua e Literatura Espanhola na Universidade de La Habana (Cuba) e Música, na Escuela Alejandro Garcia Caturlas.

FORMAÇÃO

  • Licenciatura em Língua e Literatura Espanhola – Universidade de La Habana (Cuba)
  • Graduação em Música – Escuela Alejandro Garcia Caturlas

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

  • Enrique iniciou a carreira como professor de Língua Espanhola no pré-universitário de Ciências Exatas Vladimir Ilich Lenin, em sua cidade natal. Foi professor de Literatura Hispano-americana na Escola Nacional de Artes (ENA) e no Instituto Amadeo Roldan. Também foi professor de História da Música e Apreciação Musical na escola na qual formou-se.
  • Há cinco anos estabeleceu residência fixa no Brasil. Atualmente é professor de espanhol particular e na Fundação Republicana Brasileira (FRB).

Evandro Garla
Secretário-geral do Republicanos
GERAL

Evandro Garla é natural de São Paulo (SP) e nasceu no dia 9 de maio de 1978. Gestor Público pela Universidade Católica de Brasília, exerceu o cargo de Chefe de Gabinete do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), já tendo desempenhado as mesmas funções na Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco e na Câmara dos Deputados.

Ocupou o cargo de Secretário Nacional de Esporte, Lazer e Inclusão Social (SNELIS) e de Gerente de Projetos da Secretaria Executiva, ambos no Ministério do Esporte.

Eleito como Deputado Distrital na 6ª Legislatura (2011-2014), foi votado para o cargo de Ouvidor da Câmara Legislativa do Distrito Federal, ofício que cumpriu durante todo o seu mandato.

Buscando o aprimoramento no exercício de suas funções públicas e embasamento na promoção de mudanças, está cursando MBA em Gestão de Pessoas, na Universidade Católica de Brasília.

FORMAÇÃO

Gestão Pública – Universidade Católica de Brasília

MBA em Gestão Pública – Universidade Católica de Brasília

Joaquim Mauro
Tesoureiro Nacional do Republicanos

GERAL

O paulistano Joaquim Mauro Silva possui graduação em Ciências Contábeis pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo PUC/SP e especialização em Gestão Pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Atuou durante 11 anos em empresas nacionais e multinacionais e também foi sócio de um escritório de contabilidade.

Mauro Silva atua como dirigente partidário há mais de 10 anos. Trabalhou como assessor parlamentar e técnico nas Câmaras Municipais de São Paulo, Rio de Janeiro e na Legislativa do Distrito Federal, secretário adjunto de Esporte e foi presidente da Fundação Republicana Brasileira (FRB), na qual, atualmente, é diretor financeiro. Também é tesoureiro nacional do Republicanos.

 

FORMAÇÃO

Graduação em Ciências Contábeis - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo PUC/SP

Roberta Guerra

GERAL

Roberta é casada há mais de 15 anos e tem um casal de filhos. Viveu por nove anos nos Estados Unidos, onde teve a oportunidade de ter uma formação teste (PET) pela Cambridge University e fez um Curso Introdutório de Professores, pela Cambridge University – ELC Idiomas. Fez intercâmbio cultural em West Chester, Ohio, USA.  Roberta é fluente em inglês e espanhol.

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

Câmara Legislativa do Distrito Federal - Assessora Parlamentar

British and American English School – Curso de inglês - Professora de inglês para adultos e adolescentes.

Opportunity Fomento Comercial Ltda. - Empresa de fomento comercial.

Bankers Insurance Group-USA – Empresa Internacional que atua no ramo de seguros, nas áreas jurídica, civil, patrimonial, intempéries da natureza e vida.

Customer Service Representative II - Departamento de Sinistros – Louisiana State; Florida State;

Tânia Maria Teixeira

GERAL

Tania Maria Teixeira, 56 anos, servidora pública federal do FNDE, aposentada, graduada em pedagogia com habilitação em orientação educacional. Cursando pós graduação em Assessoria Parlamentar na Faculdade Republicana.

Assessora Parlamentar há 20 anos, sendo 12 lotada no Gabinete do Deputado Federal Márcio Marinho – Republicanos-BA, onde atuou na área internacional.

Desde 2017, hoje está como Secretária do Movimento Feminino do Republicanos do DF.

 

FORMAÇÃO

Pedagogia com habilitação em orientação educacional – Uniceub

Pós-graduação Assessoria Parlamentar – Faculdade Republicana