FRB oferece semana de palestras para parlamentares municipais de São Paulo, através do Centro de Apoio aos Municípios

O CAM oferece assessoria para o parlamentar que necessitar de ajuda em suas demandas, independente de partido político.

O I Encontro Municipal do Centro de Apoio aos Municípios (CAM), ofertado pela Fundação Republicana Brasileira (FRB), aconteceu na Subseção de São Paulo na semana entre os dias 26 a 31 de julho. O evento teve como finalidade levar informações úteis e viáveis para os prefeitos, vereadores e agentes públicos municipais sobre como conseguir ter suas demandas atendidas com mais celeridade, tendo como resultado o desenvolvimento das políticas públicas das cidades.

O CAM é um braço estendido da FRB para atender aos municípios, assim tentar desburocratizar a máquina pública do país, para que o recurso tenha a finalidade deseja que é a infraestrutura da cidade, como falou o presidente nacional do Republicanos e deputado federal, Marcos Pereira: “O CAM foi criado para auxiliar na burocracia de acesso aos recursos da união. Todos os parlamentares municipais podem se beneficiar e usufruir da assessoria do CAM, porque este trabalho é independente de partido político.”, ressaltou.

O evento teve duração de uma semana, porque o CAM se preocupou em atender cada cidade paulista de forma personalizada, por essa razão, cada dia de palestra foi dedicado para atendimento de uma região. Assim, todos os parlamentares do Republicanos de São Paulo foram munidos de informações sobre os processos que podem trazer benefícios para suas cidades.

Como anfitriã do evento a FRB sempre se mostrou focada no desenvolvimento humano e na formação de cidadãos conscientes, como enfatizou o presidente da FRB, Rusembergue Barbosa: “Reforço que ofertamos, por meio do CAM, assessoria política com produtos gratuitos e disponíveis em nosso site, como e-books direcionados a vereadores e prefeitos, fora material de apoio contendo artigos, estatísticas e pesquisas. Esse é o setor idealizado para viabilizar a comunicação entre ministérios e prefeituras”.

Também tivemos a presença de várias autoridades durante as palestras, como o presidente estadual do Republicanos de São Paulo, Sérgio Fontellas, o Coordenador da Subseção – SP, Eduardo Verrone, o Dr. Flávio Britto, a secretária nacional de Política para as Mulheres – MMFDH, Drª. Cristiane Britto, o secretário nacional de Mobilidade e Desenvolvimento Regional e Urbano, Tiago Pontos, entre tantas outras que se sentiram satisfeitas com o evento, como o deputado federal Celso Russomanno que expressou sua consternação: “O CAM foi criado por conta da dificuldade que os municípios tinham de encontrar os recursos para sua cidade, em Brasília. Este é o trabalho que o CAM oferece, achar nas secretarias nacionais estes recursos e apresentar para o prefeito.”, acrescentou.

A Fundação Republicana Brasileira não cansa de inovar e buscar sempre oferecer o melhor produto ao cidadão, por isso se tornou a primeira fundação partidária a abrir uma instituição de ensino superior, com a autorização do MEC: a Faculdade Republicana, que hoje dispõe de diversos cursos e parcerias, com uma equipe de docentes de alto nível e ensino de primeira qualidade. O diretor-geral da Republicana, Valdir Pucci, também participou do evento, de forma remota: “A criação da Faculdade Republicana mostra o quanto o partido Republicano se preocupa com a educação. Educação esta que é levar a faculdade a população. A Republicana também criou um curso para capacitar os gestores do país, que é a Republicana Incompany, porque entendemos que gestores bem capacitados são aqueles que podem ajudar a comunidade a se desenvolver.”

O evento termina com a certeza de dever cumprido, porque a FRB juntamente com os consultores do CAM, Mariana Pimentel, Danielle Salomão, engenheiro Ragi Chueri  e Elias Tavares estavam preparados e ofereceram todos os conteúdos que foram pesquisados e analisados por eles já há algum tempo.

CAM, levando alternativas viáveis para a melhoria da sua cidade.

Informativo:

O trabalho do Centro de Apoio aos Municípios está à disposição e quem desejar ser auxiliado pelo projeto, pode entrar em contato ou nos fazer uma visita agendada.
SEP Sul, trecho 713/913,lote E, Asa Sul, Brasília-DF
CEP: 70390-135
E-mail: cam@fundacaorepublicana.org.br
Telefone: (61) 3321-1112 e (61) 99506-3125 (WhatsApp)

Texto: Mazé Rodrigues – Ascom FRB

Fotos: Erick – Subseção-SP

 

Paraná recebeu a 4ª edição do Curso de Lideranças Femininas

O curso ministrado pela cientista política, Daniela Rabello, foi realizado na cidade de Cascavel

Cascavel (PR) – O frio de quase 1º grau não espantou as republicanas que marcaram presença na 4ª Edição do Curso de Lideranças Femininas, realizado no último dia 29, pela Fundação Republicana Brasileira (FRB), de forma híbrida (presencial e virtual), com o apoio do Mulheres Republicanas nacional, na cidade de Cascavel, no Paraná.

Com o objetivo de levar às mulheres capacitação e qualificação política, além dos conceitos de democracia, cidadania e política ética que, bem aplicados, podem fazer a diferença dentro da sociedade brasileira e mostrar que o lugar da mulher não é somente nos trabalhos domésticos, mas onde ela quiser estar, a cientista política Daniela Rabello realizou um debate a respeito do uso do tempo e do conhecimento político para compreender o processo de formação do pensamento social e cultural em torno da mulher.

Estiverem presentes a secretária nacional do Mulheres Republicana, a deputada estadual Tia Ju (RepublicanosRJ), a secretária estadual do movimento feminino, Marcilene Soares, a vereadora de Cascavel, Beth Leal (Republicanos), Cleocir Debiazi, secretária do Mulheres Republicanas de Cascavel, Graziela Gobbato, Secretária das mulheres Republicanas de Toledo, o vice-prefeito de Cascavel e Presidente Municipal do Republicanos, Renato Silva.

A vereadora Beth Leal, única mulher eleita pelo Republicanos na cidade, ressaltou o orgulho em ser uma das mulheres eleitas pelo partido no Brasil. “Tenho a felicidade de ser uma das 396 vereadoras do Republicanos no país e destaco a importância desse evento e de mais mulheres na política, o que é fundamental para que tenhamos equilíbrio em relação a política nacional, estadual e municipal”, disse Beth.

Já a secretária estadual falou da satisfação de ver a organização do evento em Cascavel e ressaltou a alta qualidade do curso ministrado pela Danielle Rabello.

“Quero aqui agradecer a secretária nacional Tia Ju, por enfrentar esse frio para estar conosco e trazer muito conhecimento e oportunidade para as mulheres do Paraná. Quero agradecer as mulheres que fizeram esse evento acontecer. Escolhemos essa cidade, porque em 2019 uma mulher forte foi escolhida para ser candidata aqui e a escolha foi a Beth Leal, que se espantou com a escolha, mas foi eleita em 2020 com o maior número de votos. Enfim, talvez a mulher pense da mesma forma e até duvide do seu potencial, mas temos a certeza e estamos aqui para comprovar que é possível fazer a diferença na política. Já de pronto, te convido para ser 10 com a gente”, disse Marcilene.

Tia Ju, que faz questão de participar presencialmente de todas as edições do curso, afirmou que o papel da mulher na política é fundamental e que as decisões de políticas públicas para mulheres tem que ser tomadas por mulheres.

“É com muita alegria e satisfação que eu e minha equipe estamos mais uma vez em mais uma edição do curso de lideranças femininas. Independente do frio em Cascavel, eu já sabia que no Republicanos sempre tem muito calor humano e de fato sentimos esse calor com o carinho e receptividade de todos. Quero agradecer em especial ao nosso presidente nacional, o deputado Marcos Pereira, que sempre nos impulsiona, nos estimula não só com palavras, mas com atitudes. Essas palavras comprovam o crescimento das mulheres na política que tivemos Republicanos”, disse ela, ressaltando que o curso tem a capacidade de fazer as mulheres entenderem o seu papel na política e disse que “não se pode mais pensar em política sem a figura da mulher, sem pensar em políticas públicas para nós”.

O curso de lideranças femininas vem sendo oferecido pela Fundação Republicana Brasileira em diversas regiões do país, como o Ceará, Rio Grande do Sul, Goiás e agora foi a vez do Paraná.

Texto: Ascom – Mulheres Republicanas
Foto: Cedida

FRB mais próxima dos cidadãos paulistas por meio da Subseção-SP

Balanço semestral Subseção SP

A Fundação Republicana Brasileira lançou em fevereiro de 2014 a primeira Subseção em São Paulo (SP). A unidade realiza cursos com temas políticos, simpósios e palestras, além de disponibilizar gratuitamente curso de inglês.

No primeiro semestre deste ano, dentre as diversas atividades desenvolvidas, a unidade produziu oito cursos de Política, Lideranças Femininas e Inglês, auxiliando na formação de mais de 1.500 cidadãos.

  • 11/02: Construção de Projetos Políticos – Público:
  • todo o estado de São Paulo – 386 participantes
  • 01/03: Novo curso de inglês – 70 participantes
  • 08/03: Curso de Lideranças Femininas – Público: todo o estado de São Paulo – 115 participantes
  • 01/04: Construção de Projetos Políticos – Público: Bauru/SP – 124 participantes
  • 26/04: Construção de Projetos Políticos – Público: Interior Paulista/SP – 294 participantes
  • 17/05: Construção de Projetos Políticos – Público: Sorocaba/SP – 73 participantes
  • 14/06: Curso de Lideranças Femininas – Público: Interior Paulista/SP – 52 participantes
  • 29/06: Construção de Projetos Políticos – Público: Piracicaba/SP – 413 participantes

O coordenador da Subseção SP, Eduardo Verrone, explica que a procura pelos cursos tem crescido atualmente e que a expertise dos palestrantes faz toda a diferença. “Percebemos que a população está com mais sede de conhecimento, buscando cursos que atendam suas necessidades. Possuímos palestrantes altamente capacitados para auxiliar cada vez mais no desenvolvimento de cada cidadão”, afirma.

Caso você seja de São Paulo e tenha interesse em conhecer o trabalho ofertado pela Subseção-SP da FRB entre em contato:

Telefone: (11) 3342-5160 / 5161

E-mail: secretariafrbsp@fundacaorepublicana.org.br

Texto: Raquel Ferreira / Ascom FRB

Revisão: Ellen Fernandes

Foto: Arquivo FRB

 

 

Ato de amor: FRB promove campanha de doação de sangue

Fundação reúne colaboradores para aumentar banco de sangue do Hemocentro de Brasília

 

Brasília/DF – A Fundação Republicana Brasileira (FRB) levou parte de seu corpo de trabalho para doar sangue na Fundação Hemocentro de Brasília (FHB), que perdeu cerca de 33% do banco de sangue em comparação ao mesmo período do ano de 2020.

A campanha faz parte da celebração do Dia Mundial do Doador de Sangue, comemorado em 14 de junho. A iniciativa partiu da instituição depois de observar esta queda no número de doadores e sabendo que diante desta pandemia a necessidade por plasma aumentou nas redes de saúde do Distrito Federal (DF). E para contagiar toda a família republicana a FRB também angariou doadores do partido Republicanos. Os grupos fecharam parceria com a entidade para ingressarem na ação solidária.

O presidente da FRB, Rusembergue Barbosa, também marcou presença no evento e falou sobre a importância de atos como este, “O maior ato de solidariedade é doar ao próximo, por isso estamos aqui no Hemocentro de Brasília para doarmos algo tão simples, mas que pode salvar muitas vidas. Doar sangue é um ato de amor.” comentou.

Uma das instituições que tem convênio e é beneficiada com as doações do Hemocentro é o Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB). Muitas crianças passam pela instituição para tratamentos que envolvem transfusão sanguínea. Em 2020 foram realizadas em média 210 transfusões por mês em regime ambulatorial e 323 por mês em regime de internação. Lucineia Lins é uma das mães que leva regularmente a filha para receber transfusão de sangue para o tratamento da doença falciforme. Ela leva sua filha Laura a cada 21 dias ao hospital e afirma que a doação de sangue, feita no Hemocentro, é fundamental para o tratamento: “Eu quero agradecer as pessoas que doam, elas são muito importantes para nós, tanto eu como outras mães somos muito agradecidas. Continuem doando, vocês não fazem ideia de como isso é importante para nós. Quando você doa é amor, tanto para o doador como para quem recebe”. A FHB também é responsável por todo o abastecimento de sangue da rede pública de saúde do DF.

Os colaboradores que fizeram parte desta ação se sentiram recompensados com esta atitude altruísta, como comenta a Juscélia Alves, “Eu acho importante ajudar as pessoas,  quem precisa. Um ato de amor, de solidariedade ajudar o próximo, o que hoje em dia está fazendo falta.”

Segundo a diretora técnica do HCB, oncologista hematologista Isis Magalhães, a doença falciforme é uma doença hereditária, passada de geração em geração, e é muito prevalente em nosso país, com um caso a cada 1.200 nascimentos. “Hoje, já é contemplada no teste do pezinho em quase todo o território nacional – a gente busca um diagnóstico precoce.”, explica em entrevista ao podcast Rádio Dodói, produzido pelo Hospital da Criança de Brasília.

Segundo dados do Ministério da Saúde, no Brasil são realizadas, em média, cerca de 3 milhões de doações de sangue por ano na rede do Sistema Único de Saúde (SUS). Devido à pandemia da Covid-19, em 2020, o número de doações caiu cerca de 10%. Foram 2,9 milhões de doações realizadas no ano passado.

 

Texto: Ellen Fernandes – Ascom FRB

Colaboração: Mazé Rodrigues / Raquel Ferreira – Ascom FRB

Fotos: Carlos Gonzaga – Ascom FRB

A busca por informações concretas a respeito de uma sociedade, Estado ou província, não é algo novo. Data-se que o Censo mais antigo do mundo foi realizado pela China, a 2.238 anos a.C., a pedido do imperador Yao com o intuito de levantar informações da população e de áreas cultivadas. No Brasil, o histórico é marcado por um início bastante tardio, haja vista, que a primeira edição ocorreu apenas em 1871, de lá para os dias atuais, três recenseamentos deixaram de ser realizados, trazendo grandes prejuízos para a nação.

Para a idealização de um Brasil estratégico, isto é, que responda às problemáticas sociais de modo efetivo, é preciso que haja alocação correta de recursos e fomentos em localidades específicas, já que o Brasil é um país com vastidão continental e carregado de características diversas, nesse sentido, o Censo contribui significativamente para o fornecimento de dados e estatísticas precisas sobre aspectos relevantes da população.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é um órgão público pertencente à administração pública o qual tem como objetivo fornecer dados e informações concernentes ao território e população do país. O Censo é um elemento crucial para a elaboração de políticas públicas, funciona como um guia para as ações do Estado brasileiro, segundo fala do ex-ministro da Saúde, Teich, “sem dados se criam políticas públicas com base na impressão, não se sabe se está criando algo efetivo.”

Tal levantamento pode auxiliar na gestão eficaz de políticas públicas que busquem solucionar problemáticas sociais diversas distribuídas pelas diferentes regiões brasileiras. A título de exemplo, o levantamento dessas informações foi crucial para a implementação de políticas públicas direcionadas ao público feminino. Os dados do IBGE revelam que em 2018, após 12 anos da promulgação da Lei Maria da Penha, que ocorreu em 7 de agosto de 2006, verificou-se que apenas 2,4% dos municípios ofereciam casas-abrigo para mulheres em situação de vulnerabilidade e violência. Foi por meio desta constatação que criou-se subsídios para que as diferentes esferas do poder pudessem formular ações, visando superar ineficiência da implementação da política.

Atualmente, a gestão governamental do presente governo está enfrentando um impasse decisivo quanto à realização ou não do Demográfico, o qual, de acordo com o protocolo gerencial público, deveria ter sido realizado no ano de 2020, cumprindo o intervalo de 10 anos entre cada um. Entretanto, a grave crise sanitária advinda da pandemia da Covid-19, foi a causa da prorrogação para o ano seguinte.

Diante dessa mesma ideia, ainda a discussão sobre a realização do Censo é uma questão a ser respondida, se deve ser realizada neste ano e na atual circunstância ou não, já que a pandemia não cessou. Para resolver a problemática, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o 2021 deve ser realizado, pautando-se no argumento de que o cancelamento vai contra o texto constitucional.

Em seu pronunciamento, o ministro Marco Aurélio (STF) argumentou que a União e o IBGE, ao deixarem de realizar o levantamento desses dados no corrente ano, em decorrência da falta de verbas, descumprem o dever de organizar e manter os serviços oficiais de estatística abrangência nacional. Como desfecho, no dia 28 de abril o ministro determinou que o governo federal adote as medidas necessárias para a realização do Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O atraso em se tomar a decisão para que ocorra o Censo demográfico, neste exato momento, acarreta retardo na elaboração de projetos e políticas que possam, sim, responder a sociedade e que traga dados que permitam que o combate ao coronavírus seja mais eficiente a médio e longo prazo.

Deste modo, avaliando a complexidade que envolve a coleta de dados para o fomento de pesquisas que respondam às problemáticas brasileiras, o Censo Demográfico é um grande insumo para o desenvolvimento de projetos e políticas por parte dos dirigentes e para a administração pública.

Em suma, a importância da realização da pesquisa para auxiliar na resolução de questões sociais inerentes à população brasileira, ainda mais tratando-se de políticas públicas correlatas a gestão da Saúde, que englobam, o enfrentamento à pandemia, que hoje é de essencial relevância para a construção de um Brasil estratégico.

 

Texto: Núcleo de Estudos e Pesquisas (NEP)

Até onde vai a busca pela felicidade?

Como argumentar diante do debate histórico do uso de entorpecentes na sociedade?

No Brasil, de acordo com a Lei n.º 11.343/2006 (Lei de Drogas), o uso de drogas é tido como ilícito. As condutas de guardar, adquirir, portar, transportar, plantar, semear tanto para o consumo pessoal quanto para venda são de caráter punitivo segundo a Lei.

Contudo, a discussão sobre a proibição ou não de drogas perpassa outras temáticas sociais questionáveis pelo ser humano, aspectos filosóficos e sociais que permeiam esse debate de forma a contribuir para a licitude dessa prática ou não.

Segundo matéria divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo do dia (21/6), o neurocientista norte americano, Carl Hart,  professor de psicologia e de psiquiatria da Universidade de Columbia, se pronunciou a favor do consumo de drogas a partir de um julgamento pessoal de escolha, argumentando que o direito à felicidade citado na carta de Declaração dos Direitos Humanos, pode ser sim, significar ter a liberdade de consumir drogas a seu próprio discernimento, podendo fazer a avaliação de seu risco e de benefício sem que haja a interferência do governo em sua decisão.

Imbuídos da ideologia política do libertarianismo, a qual  tem como seu principal ponto de defesa a liberdade como seu essencial valor e objetivo político, os libertários acreditam que o intuito da política deve maximizar a autonomia e a liberdade de escolha pelo indivíduo, isentando o Estado de qualquer obrigação de promover a ordem ou a igualdade. Tal filosofia política, pauta-se pelos extremos, quase sempre perigosos.

Além de Carl Hart, outros autores da corrente libertária como David Friedman, argumentam que: “[…] nada deveria ficar sob responsabilidade do Estado.” Tal premissa pressupõe a ausência de interferência do Estado nas escolhas dos indivíduos, transferindo a total autonomia do indivíduo.

Esta ideologia política destitui a força estatal como força resolvedora das questões sociais, e com isso, perde-se, também, a importância dada aos princípios e valores tradicionais de uma sociedade, deixando-a livre de qualquer prévia orientação e coordenação estatal ou governamental, o que abre brechas para toda e qualquer opinião e posicionamento pessoal.

Correlacionando essa tese com a fala de Carl Hart, pode-se questionar, sob base dessa argumentação, até onde vai a busca pela felicidade? Seria adotar fielmente a ideologia libertária? Se contrapondo aos valores conservadores e tradicionais que serviram e servem de alicerce para a construção de uma sociedade republicana e democrática? Ser feliz seria, então, poder fazer tudo aquilo que transgride a moral e os bons costumes tão cultivados pela sociedade dita conservadora? Seria elaborar argumentos contraproducentes que justifiquem as práticas que possam corromper o que é tido como benéfico ou maléfico?

Até que ponto o uso de drogas pode ser positivo ao se estender para toda a sociedade, não restringindo o seu uso? Será que, de fato, corrobora para a quebra do estigma sobre o uso recreativo ou ocasional de drogas? A fim de isentar as práticas racistas?

O debate sobre o uso de drogas, assim como afrouxar outras temáticas liberais como a união homossexual, destituindo a concepção conservadora de família, significa ser feliz? Até que ponto se entende a definição de felicidade? A felicidade não deveria girar em torno da satisfação individual do ser, mas sim, quando se pensa no bem coletivo, oferecer e proporcionar um Estado favorável e seguro para todo um conjunto, inibindo riscos à segurança e integridade física da população.

Ainda dentro dessa perspectiva, enfraquecer os ideais tidos como conservadores de uma sociedade não deve ser considerada como resposta à busca pela felicidade e ou satisfação pessoal de indivíduo em detrimento de toda uma sociedade.

As normas jurídicas servem para ponderar os direitos individuais, a fim de que toda uma coletividade tenha seus direitos protegidos e assegurados, como o direito à vida, à propriedade.

Não há espaço para a criação de uma ideologia denominada “felicidade”, pois se assim for, tudo será permitido, com o intuito de taxar como toda e qualquer justificativa como um fator que fomente os preconceitos sociais existentes em nossa sociedade. Deve haver um pluralismo político que abarque a conservação dos costumes tradicionais advindos de um histórico cultural prévio. Liberar e afrouxar modelos de conduta humana pode corroborar para uma sociedade sem freios com a premissa de que todos estão em busca da felicidade.

Texto: Núcleo de Estudos e Pesquisas (NEP)

Comunidade goiana é empoderada com Lideranças Femininas da FRB

Terceira edição de maratona on-line chega a Goiânia

(Brasília – DF) Na noite desta sexta-feira (25), a Fundação Republicana Brasileira – FRB, promoveu por meio de parceria fechada com o movimento Mulheres Republicanas, a edição goiana do Curso de Lideranças Femininas. A secretária nacional, Tia Ju, providenciou todos arranjos com a militância para programar o circuito on-line em todo o país, cuja palestra conta com a apresentação da cientista política Daniela Rabello.

Para Tia Ju, “a oportunidade de capacitação política que a Fundação Republicana Brasileira oferece é imperdível. Fechamos este projeto juntos com o intuito de visitar, virtualmente, cada mulher que acredita em seu potencial e que poderá adentrar as repartições, órgãos e parlamentos como representantes do povo com a determinação feminina que merece destaque”.

O presidente da Fundação, Rusembergue Barbosa, saudou o público presente na transmissão e pincelou alguns projetos institucionais desenvolvidos. “Nós apostamos no desenvolvimento das brasileiras e contamos com a participação dos homens também para que desfrutem do curso e entendam o processo histórico das mulheres na humanidade. Há menos de 200 anos atrás as mulheres não podiam nem ler nem escrever neste país, vejam que salto gigantesco demos desses séculos para cá e como é importante que as pessoas entendam que a igualdade de gênero é primordial para a justiça social. O republicanismo acredita na mulher e a FRB faz sua parte com esta formação para todo o Brasil”, afirma.

O encontro teve exibição também de discursos e projetos do presidente estadual do Republicanos goiano, João Campos, do prefeito de Goiânia Rogério Cruz, da secretária estadual das Republicanas/GO Rosa Bravo, da secretária nacional de Assistência Social Maria Yvelonia e da primeira-dama da capital goiana, Telma Cruz.

A maratona de empoderamento já visitou os estados de Rio Grande do Sul e Ceará.

Como funciona

A FRB lançou o Curso de Lideranças Femininas em 2 de maio de 2016 em Brasília, na antiga sede da instituição. Além do formato presencial, a aula foi adaptada para a modalidade virtual e credenciou milhares de pessoas com certificado gratuito. Quando Tia Ju assumiu a Secretaria Nacional do Mulheres Republicanas, idealizou a parceria com a Fundação para levar a palestra a todos os municípios contando com a articulação da militância feminina. Os próximos estados a serem contemplados com a formação serão anunciados de acordo com a agenda a ser fechada pela Secretaria de Cursos da FRB e pela equipe do movimento republicano.

 

Por Ellen Fernandes – Ascom FRB
Fotos: Carlos Gonzaga – Ascom FRB e reprodução via internet (printscreen)

FRB transmite Curso de Lideranças Femininas em Porto Alegre

Daniella Rabello mostrou que, capacitadas, mulheres podem ser ferramentas de transformação

Porto Alegre (RS) – O movimento Mulheres Republicanas do Rio Grande do Sul recebeu, na última quinta-feira (27), o Curso de Lideranças Femininas promovido em modo híbrido (presencial e virtual), por meio da secretaria nacional do movimento feminino do Republicanos em parceria com a Fundação Republicana Brasileira (FRB).

A segunda edição do curso contou com a presença de autoridades do partido, como a secretária nacional da militância, deputada Tia Ju (Republicanos/RJ); a secretária estadual Beth Colombo; a deputada estadual Fran Somensi, a vereadora de Porto Alegre Barbara Penna e a prefeita Gisele Schneider, do município de Maratá.

Participaram também, virtualmente, o presidente da FRB, Rusembergue Barbosa, que deixou seu recado para todas as mulheres gaúchas; assim como o presidente estadual do Republicanos RS, deputado federal Carlos Gomes, que esteve em agenda e não pôde participar pessoalmente. O deputado estadual Sergio Peres, que atua especialmente no combate ao feminicídio, também saudou as participantes do evento. Em sua fala ele lembrou a importância do curso da Fundação, que faz parte da estratégia de trazer mais mulheres para a política.

A deputada Tia Ju, incentivadora e idealizadora desta nova caravana de cursos, afirma que o objetivo do movimento é capacitar o máximo de mulheres e trazê-las para dentro do partido. “As ações das mulheres no parlamento são diferenciadas. Quando fazemos, fazemos de verdade. É preciso acreditar mais em nós e quanto podemos contribuir para a sociedade. A mulher só vai saber se tem potencial para a política se participar dela. Vem com a gente”, reforçou a republicana.

Beth Colombo, anfitriã do evento, agradeceu o momento. “Não tenho dúvidas que nossos últimos pleitos motivaram mulheres que estão aqui hoje. Nós, mulheres, somos essencialmente solidárias, apaixonadas e competitivas. Depois de hoje, não tenho dúvidas que em 2022 vamos ampliar nossa bancada. Tenho certeza que valeu a pena e vamos continuar apaixonando mulheres, e quando as mulheres se apaixonam pela política elas se sentem representadas e motivadas”, ressaltou.

Bárbara Penna, que acabou de assumir a vereança na Câmara de Porto Alegre, falou da oportunidade de estar participando e do quanto isso mudou a sua vida. “Vou sair transformada daqui. Quero agradecer a Daniela Rabello que tem a missão de transformar vidas com a sua palestra maravilhosa”. A deputada Fran Somensi agradeceu o apoio dos homens do partido ao presidente Carlos Gomes e ao presidente Nacional do Republicanos, que sempre deram suporte às ações do Mulheres Republicanas no estado. “A gente quer oportunidade e respeito, quero deixar meu recado para as mulheres que estão nos assistindo. O Republicanos é um partido que oportuniza e que motiva a mulher para estar mais dentro da política. Ele se preocupa com a mulher, assim, temos durante todo ano cursos e oportunidades para a capacitação e formação das nossas republicanas”, apontou.

Daniela Rabello ratificou a importância da mulher ser líder, não só na política mas em todas as áreas da vida. “As dificuldades que enfrentamos, são as dificuldades que nos impulsionam. As mulheres fazem uma grande diferença quando chegam em Brasília e transformam a vida de outras pessoas, através da sua sensibilidade e vontade de fazer a diferença”, reforçou. A abertura do evento ficou com o grupo musical regional “As Maragatas”. A transmissão contou com a interpretação de libras. Para quem perdeu a transmissão ao vivo do curso, a segunda edição está disponível no canal do YouTube da FRB, assim como a primeira edição, ocorrida no Ceará.

 

 

Texto: Gisele Rocha/Ascom Mulheres Republicanas
Edição: Ellen Fernandes / Ascom FRB
Fotos: cedidas

Mulheres Republicanas Ceará recebe curso de Lideranças Femininas

Fortaleza (CE) – A primeira edição do curso de Lideranças Femininas de 2021 aconteceu no sábado (15), diretamente de Fortaleza, no Ceará. As mulheres republicanas de todo Brasil puderam conferir, ao vivo, por meio do canal do YouTube.

A realização do evento, que aconteceu no formato híbrido (presencial e virtual), seguindo as orientações sanitárias devido a pandemia do Covid-19, foi uma parceria entre o movimento feminino de mulheres do Republicanos e a Fundação Republicana Brasileira, a FRB. O evento teve, no início, a participação da artista Karolzinha, que fez uma apresentação musical, típica da Região Nordeste, acompanhada de uma sanfona.

Entre as autoridades do partido estavam presentes a secretária nacional do Mulheres Republicanas, a deputada estadual Tia Ju (Republicanos-RJ), a secretária do Mulheres Republicanas Ceará, Cássia Vasconcelos, a prefeita de Paraipaba, Ariana Aquino, a vereadora de Juazeiro do Norte, Jacqueline Gouveia, e o presidente do partido no Ceará, o vereador de Fortaleza, Ronaldo Martins. O presidente nacional do Republicanos, deputado federal Marcos Pereira, enviou um recado para as participantes. O presidente da FRB, Rusembergue Barbosa, também participou do evento.

“Aproveitem nosso curso, a fundação e a Faculdade Republicana estão de portas abertas para capacitar e ajudar no processo de formação política de cada um para as próximas eleições”, destacou.

A secretária Tia Ju falou da importância do curso e ressaltou que esse é um dos 10 pontos das metas apresentadas por ela, quando assumiu a gestão do Mulheres Republicanas, em março.

“Capacitar nossas republicanas é um dos pontos mais importantes das nossas metas. Quero agradecer e parabenizar a Cássia pelo desbravamento, pela dedicação de nos receber aqui no Ceará que foi escolhido para ser o primeiro estado, por entendermos que essa coordenadoria motiva e inspira suas mulheres. Estamos aqui porque fazemos parte de um partido que quer inserir mais mulheres na política e porque temos um presidente que acredita na força da mulher. O presidente e deputado federal Marcos Pereira tem um papel fundamental nas nossas conquistas e apoia nossas ações, nos dando carta branca na capacitação das republicanas. Vamos juntas!”, disse.

O objetivo do curso de Lideranças Femininas é levar às mulheres os conceitos de democracia, cidadania, política e ética que quando são bem aplicados podem trazer a diferença dentro da sociedade brasileira e mostrar que o lugar da mulher não é somente nos trabalhos domésticos, mas onde ela quiser estar.

A palestrante e cientista política Daniela Rabello abriu sua exposição lembrando que com a pandemia, as multifunções das mulheres foram intensificadas. Em uma breve viagem na história ele levou as participantes a compreender o processo de formação do pensamento social, político-cultural em torno da mulher, suas funções e seu papel na sociedade e também levantou um debate a respeito do uso do tempo e do conhecimento político.

A secretária do Mulheres Republicanas Ceará, Cássia Vasconcelos, emocionada, falou sobre sua luta como mulher, como mulher negra, como mãe e de que forma a política a ajudou a encontrar o seu lugar.

“Vim de uma realidade onde as pessoas diziam onde era o meu lugar. Na política, eu decido onde eu devo estar e o que eu quero fazer. Como secretária estadual do Mulheres Republicanas, procuro correr atrás de capacitação para minhas colegas de partido. Nesta tarde estamos vivendo um é um momento incrível e único que o Republicanos está nos proporcionando. Não queremos só mais mulheres na política, queremos mais mulheres capacitadas na política, na vida e nos espaços de poder e de fala”, reiterou.

O vereador Ronaldo Martins falou sobre a importância da iniciativa e da sua luta por convencer mais mulheres a entrar na vida política. “Somos um partido que tem por consciência motivar a participação das mulheres na política. Apoiamos as ações e iniciativas e temos o desafio de convencer as mulheres de assumirem um compromisso político de participar de pleitos. Nosso partido sempre vai apoiar a participação feminina, podem contar com a gente”, disse.

Daniella Rabelo também ressaltou a necessidade das mulheres pensarem estrategicamente. “Precisamos de várias mulheres nos espaços de poder, na política, no judiciário, pois só a mulher conhece a real necessidade de outra mulher, pois vivemos isso diariamente. Em relação aos homens, precisamos somar juntos, tanto na política como na vida, precisamos ser companheiros uns dos outros, só assim, juntos, ficaremos mais fortes. Temos um partido que abraça a participação feminina na política, logo precisamos estar prontas e preparadas para aproveitar cada nova oportunidade. Lembro que precisamos estar capacitadas para as eleições de 2022 e o momento é agora, a partir de já”, disse.

As secretárias estaduais do movimento tiveram uma participação especial, com uma sala virtual exclusiva, de onde assistiram o curso.

Ainda sem data definida, a próxima edição do Curso de Lideranças Femininas, está bem próximo e foi confirmada no estado do Rio Grande do Sul, com o mesmo objetivo, o de capacitar e formar mais mulheres para sua inserção na política e nos espaços de poder.

Texto: Gisele Rocha / Ascom – Mulheres Republicanas Nacional
Fotos:  Joel Nascimento

Mulheres Republicanas realiza curso de Lideranças Femininas neste sábado no Ceará

Fortaleza (CE) – No próximo sábado (15), a partir das 14h30, vai ocorrer a primeira edição de 2021, do curso de “Lideranças Femininas”, ministrada pela cientista política, Daniela Rabelo, diretamente de Fortaleza. O curso é uma parceria do Mulheres Republicanas Nacional e a Fundação Republicana Brasileira, a FRB, que tem como objetivo despertar nas mulheres conceitos como a democracia, cidadania e política ética, mostrando que as mulheres podem ocupar qualquer espaço social que desejarem. A transmissão será aberta pelo canal do Youtube da FRB.

O estado do Ceará, sempre preocupado em capacitar suas filiadas, foi o primeiro a ser escolhido para receber o curso, que, por conta da pandemia da Covid 19, acontecerá de forma híbrida (virtual e presencial), respeitando todas as medidas sanitárias do Ministério da Saúde.

A deputada e secretária nacional do Mulheres Republicanas, Tia Ju, afirma que a participação de todas as secretárias estaduais do movimento é fundamental para o sucesso do evento, que tem como objetivo levar capacitação e conhecimento para todas as mulheres. “Espero que todas possam estar presentes. É de suma importância que estejamos juntas e unidas, mostrando a nossa força, mesmo que virtualmente e incentivando umas às outras sempre”, reforçou Tia Ju.

A anfitriã do evento no Ceará, a secretária estadual do Mulheres Republicanas no estado, Cássia Vasconcelos, fala da importância do curso para a inserção de mais mulheres na política e espaços de poder. “É muito importante esse tipo de iniciativa, pois a mulher precisa acreditar que ela pode estar aonde ela quiser. Falta muita informação e formação, e esse tipo de curso ajuda a projetar estas mulheres. Estou muito feliz pelo meu estado do Ceará ser o primeiro a começar essa caravana de capacitação”, ressaltou Cássia.

Sobre Daniela Rabello

Daniela Rabello é formada em Ciência Política, pós-graduada em Gestão da Comunicação nas Organizações, foi facilitadora do Programa de Formação de Gestores Federais da Escola Nacional de Administração Pública (Enap), mediadora de workshop na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), pesquisadora do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea).

Foi também consultora e prestou assessoria de comunicação e política a empresas como Senado Federal (Procuradoria da Mulher), Codhab, Ambev, WWF, SindiTelebrasil, Schahin, BMG, Oeste Sul, Sindicato dos Transportes do DF, Governo da Paraíba, Governo do Rio de Janeiro e outros. Atualmente integra a equipe de palestrantes e é professora do Curso de Lideranças Femininas da Fundação Republicana Brasileira (FRB).

Inscrição e transmissão

Republicana, ainda dá tempo de realizar a sua inscrição, ela pode ser feita AQUI. O evento será aberto e inteiramente gratuito, através do Youtube da Fundação. A FRB ofertará certificado de participação, para quem se inscrever no link, com carga horária de 2 horas.

Texto: Gisele Rocha/ Ascom do Mulheres Republicanas
Foto: cedida

Sede

SEP Sul, Trecho 713/913, Lote E, Edifício CNC Trade, Asa Sul, Brasília – DF, CEP: 70390-135

E-mail: contato@fundacaorepublicana.org.br
Telefone: (61) 3321-1112

Subseção São Paulo

Av. Indianópolis, 2025 – Planalto Paulista – CEP: 04063-003

E-mail: secretariafrbsp@gmail.com

Telefone: (11) 5594-0184 / (11) 3342-5160 / #5175

× Fale Conosco.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

LEIA COM ATENÇÃO:

Para efetivação da sua matrícula no Curso de Idiomas do ano de 2020, segue a documentação necessária:

  • RG – Original
  • CPF – Original
  • Foto 3×4 – Atualizada
  • Comprovante de Residência – Original (máximo 90 dias de emissão)
    • O comprovante de residência deve estar em seu nome, ou faça uma declaração, informando o seu endereço residencial e registrá-la em cartório.
  • Comprovante de renda – Original

IMPORTANTE:

Somente é válido como comprovante de renda o seu Contracheque ou Declaração de Serviço Autônomo que deve ser registrada em cartório.

Ausência de Renda: Você deverá escrever uma Declaração informando que não possui renda e também registrá-la no cartório.

Adriana Costa Bezerra
Diretora Administrativa da Subseção de São Paulo
“Paulistana”
GERAL
Adriana Costa Bezerra é paulistana e nasceu no dia 7 de abril. Graduada em Comunicação Social – Jornalismo pela Universidade Nove de Julho (Uninove), tem experiência também em outros setores, como administração e finanças.
FORMAÇÃO
Jornalismo – Universidade Nove de Julho
EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL
  • Adriana tem ampla experiência na área administrativa e também com atendimento ao público. Já trabalhou em várias empresas nacionais;
  • Assessora Parlamentar na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro;
  • Tesoureira no Partido Republicano Brasileiro (PRB) de São Paulo;
  • Experiência em projetos sociais voltados para a juventude;
  • Coordenadora de Redação na Rede Mulher de Televisão;
  • Atualmente é Diretora Administrativa da Subseção da Fundação Republicana Brasileira (FRB) em São Paulo.

Eduardo Verrone
Coordenador

Eduardo Verrone nasceu na cidade de São Paulo, é casado há mais de 35 anos com Cristina Verrone e tem uma filha, a Jackeline.

Profissional da área de comunicação social, atuou com TV, rádio e jornal atendendo demandas de diferentes países como Brasil, Panamá, Honduras, Colômbia e Uruguai. Participou de palestras de desenvolvimento pessoal na Argentina e Estados Unidos.

Formando em Ciências Políticas pela Uninter, ingressou na política em 2016 como coordenador de mídias e assessorando a presidência estadual do Partido Republicano Brasileiro em São Paulo.

Como coordenador da subseção da FRB, posto que assumiu desde 2019, está intensificando os trabalhos e ampliando o número de realizações de cursos e palestras em todo o Estado. O objetivo é colaborar com a formação educacional de paulistas e paulistanos por meio dos conceitos da boa política, cidadania e gestão pública.

 

Mariluce Rodrigues Siman de Oliveira
Instrutora
Paulista
Itapevi (São Paulo)
GERAL
Mariluce Rodrigues é natural da cidade de Itapevi, São Paulo (SP). Nasceu no dia 12 de maio. Graduada em Letras (Português/Inglês), com certificados avançado e de proficiência de Língua Inglesa da Universidade de Cambridge. Especialista em Tradução e Versão e em Fonética e Pronúncia Inglesa. Iniciou a carreira bilíngue como secretária de empresa multinacional. Leciona Língua Inglesa desde 1998. Com o objetivo de aprimorar o idioma morou três anos em Londres. Após concluir seus estudos viajou por diversos países da Europa e conheceu diferentes sotaques e culturas. Pós-graduanda no ensino de Inglês como segunda língua com certificado internacional.
FORMAÇÃO
  • Graduação – Em Letras (Português e Inglês) – UNIFIEO de Osasco/SP
  • Pós-Graduação – No Ensino de Inglês como Segunda Língua com certificado internacional (Bridge IDELTTM )
Especialização:
  • Especialização em Tradução e versão – PUC/SP e em Fonética e Pronúncia Inglesa – City Lit Londres
  • CAE – Certificado Avançado de Língua Inglesa da Universidade de Cambridge
  • CPE – Certificado de Proficiência de Língua Inglesa da Universidade de Cambridge

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

  • Mariluce tem ampla experiência em rotinas administrativas de empresas e escolas.
  •  

    Exerceu a função de docente em escolas públicas, privadas (SKILL, CNA, Memphis Inglês, Top Idiomas e Berlitz) e empresas. Ela também atua em Coordenação Pedagógica.

Rusembergue Barbosa de Almeida
Presidente
Brasileiro, 57 anos
Natural de Graça Aranha (MA)
presidencia@fundacaorepublicana.org.br
GERAL

Nascido em Graça Aranha (MA), no dia 29 de novembro de 1963, Rusembergue possui formação em Direito pela PUC Goiás e é pós-graduado em Direito Administrativo pelo Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP). Casado com Ana Maria Ribeiro de Almeida, o maranhense é um dos fundadores do Republicanos e primeiro presidente do Diretório Municipal do Partido Republicano Brasileiro (até então PRB) de Goiânia (GO), vereador e vice-presidente da Câmara Municipal da capital goiana. Também atuou como secretário e chefe da Ouvidoria da Câmara Legislativa do Distrito Federal, além de desempenhar a função de secretário da Comissão de Assuntos Sociais da CLDF. Atualmente ocupa a presidência da Fundação Republicana Brasileira - FRB.

FORMAÇÃO
  • Graduado em Direito pela PUC Goiás
  • Pós-Graduado em Direito Administrativo pelo Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP)
João Paulo Teixeira
Diretor Administrativo
Brasileiro, 33 anos
Natural do Coromandel (MG)
GERAL

João Paulo Teixeira é natural de Coromandel (MG) e nasceu no dia 4 de novembro de 1985. É graduado em Ciências Contábeis pelo Centro Universitário Unieuro, de Brasília (DF). O contabilista é conhecido por sua responsabilidade e credibilidade.

FORMAÇÃO

  • Ciências Contábeis – Centro Universitário Unieuro

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

  • Assessor Parlamentar
  • Assistente Financeiro
  • Auxiliar Administrativo
  • Representante de Vendas
  • Diretor Administrativo
Rabiu Rufayi
Instrutor
GERAL

Rabiu Rufayi é natural da República do Gana, país popularmente conhecido apenas como Gana, situado na África Ocidental. Nasceu no dia 5 de julho de 1985. Além dos idiomas Ga, do seu país de origem, e inglês, também fala hausa e mais dezenas de dialetos.

FORMAÇÃO

  • Tecnologia e Informática - Escola Indiana NIIT Technologies,
  • Artes Visuais - Escola Master Servis
  • Hardware, Tecnologia de Sistemas e Rede de Computadores - Presbiteriana.

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

Rabiu iniciou sua carreira como professor de Língua Inglesa, ministrando aulas de multimídia em informática. Foi professor na escola de idiomas Uptime, na disciplina de Comunicação em Inglês. Há três anos estabeleceu residência fixa no Brasil. Atualmente é instrutor de inglês na Fundação Republicana Brasileira (FRB).

Mário Enrique Rodriguéz Fernandéz
Instrutor
GERAL
Mário Enrique Rodriguéz é natural da cidade de La Habana (Cuba) e nasceu no dia 21 de junho de 1975. Cursou Licenciatura em Língua e Literatura Espanhola na Universidade de La Habana (Cuba) e Música, na Escuela Alejandro Garcia Caturlas.

FORMAÇÃO

  • Licenciatura em Língua e Literatura Espanhola – Universidade de La Habana (Cuba)
  • Graduação em Música – Escuela Alejandro Garcia Caturlas

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

  • Enrique iniciou a carreira como professor de Língua Espanhola no pré-universitário de Ciências Exatas Vladimir Ilich Lenin, em sua cidade natal. Foi professor de Literatura Hispano-americana na Escola Nacional de Artes (ENA) e no Instituto Amadeo Roldan. Também foi professor de História da Música e Apreciação Musical na escola na qual formou-se.
  • Há cinco anos estabeleceu residência fixa no Brasil. Atualmente é professor de espanhol particular e na Fundação Republicana Brasileira (FRB).

Evandro Garla
Secretário-geral do Republicanos
GERAL

Evandro Garla é natural de São Paulo (SP) e nasceu no dia 9 de maio de 1978. Gestor Público pela Universidade Católica de Brasília, exerceu o cargo de Chefe de Gabinete do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), já tendo desempenhado as mesmas funções na Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco e na Câmara dos Deputados.

Ocupou o cargo de Secretário Nacional de Esporte, Lazer e Inclusão Social (SNELIS) e de Gerente de Projetos da Secretaria Executiva, ambos no Ministério do Esporte.

Eleito como Deputado Distrital na 6ª Legislatura (2011-2014), foi votado para o cargo de Ouvidor da Câmara Legislativa do Distrito Federal, ofício que cumpriu durante todo o seu mandato.

Buscando o aprimoramento no exercício de suas funções públicas e embasamento na promoção de mudanças, está cursando MBA em Gestão de Pessoas, na Universidade Católica de Brasília.

FORMAÇÃO

Gestão Pública – Universidade Católica de Brasília

MBA em Gestão Pública – Universidade Católica de Brasília

Joaquim Mauro
Tesoureiro Nacional do Republicanos

GERAL

O paulistano Joaquim Mauro Silva possui graduação em Ciências Contábeis pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo PUC/SP e especialização em Gestão Pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Atuou durante 11 anos em empresas nacionais e multinacionais e também foi sócio de um escritório de contabilidade.

Mauro Silva atua como dirigente partidário há mais de 10 anos. Trabalhou como assessor parlamentar e técnico nas Câmaras Municipais de São Paulo, Rio de Janeiro e na Legislativa do Distrito Federal, secretário adjunto de Esporte e foi presidente da Fundação Republicana Brasileira (FRB), na qual, atualmente, é diretor financeiro. Também é tesoureiro nacional do Republicanos.

 

FORMAÇÃO

Graduação em Ciências Contábeis - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo PUC/SP

Roberta Guerra

GERAL

Roberta é casada há mais de 15 anos e tem um casal de filhos. Viveu por nove anos nos Estados Unidos, onde teve a oportunidade de ter uma formação teste (PET) pela Cambridge University e fez um Curso Introdutório de Professores, pela Cambridge University – ELC Idiomas. Fez intercâmbio cultural em West Chester, Ohio, USA.  Roberta é fluente em inglês e espanhol.

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

Câmara Legislativa do Distrito Federal - Assessora Parlamentar

British and American English School – Curso de inglês - Professora de inglês para adultos e adolescentes.

Opportunity Fomento Comercial Ltda. - Empresa de fomento comercial.

Bankers Insurance Group-USA – Empresa Internacional que atua no ramo de seguros, nas áreas jurídica, civil, patrimonial, intempéries da natureza e vida.

Customer Service Representative II - Departamento de Sinistros – Louisiana State; Florida State;

Tânia Maria Teixeira

GERAL

Tania Maria Teixeira, 56 anos, servidora pública federal do FNDE, aposentada, graduada em pedagogia com habilitação em orientação educacional. Cursando pós graduação em Assessoria Parlamentar na Faculdade Republicana.

Assessora Parlamentar há 20 anos, sendo 12 lotada no Gabinete do Deputado Federal Márcio Marinho – Republicanos-BA, onde atuou na área internacional.

Desde 2017, hoje está como Secretária do Movimento Feminino do Republicanos do DF.

 

FORMAÇÃO

Pedagogia com habilitação em orientação educacional – Uniceub

Pós-graduação Assessoria Parlamentar – Faculdade Republicana