FRB realiza Curso de Política para Surdos em Brasília

Segunda edição de formação inclusiva atende comunidade surda do DF

Brasília (DF) – Na manhã desta sexta-feira (28), a Fundação Republicana Brasileira – FRB, promoveu pela segunda vez o Curso de Política para Surdos na sede da Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Auditivos do Distrito Federal (Apada/DF), localizada no centro da capital federal. Toda a aula foi simultaneamente traduzida pelos intérpretes em Libras William Tomaz e Nilson Ribeiro.

Cerca de 50 estudantes atendidos pela entidade inclusiva participaram da palestra, que foi promovida pelo doutor em Ciência Política e coordenador acadêmico da FRB Leonardo Barreto. O especialista afirmou a importância da iniciativa para a comunidade surda: “Assim como eu estou aqui trazendo política pro pessoal, também estou compreendendo como eles percebem o mundo da política, então a gente está aqui construindo pontes entre nós, permitindo que todo mundo possa ter uma participação política independente de alguma diferença física e ajudando a realização da cidadania”, ressaltou Barreto.

A participante Ana Cristina Costa abordou as dificuldades da pessoa surda na introdução à política no Brasil. “Na minha vida inteira eu nunca havia tido informação política, nem quando eles colocam o intérprete de Libras na janelinha da TV nas propagandas eleitorais, pois é muito rápido. Não consigo perceber uma coerência com o que está sendo apresentado visualmente na sinalização, então permanecia na ignorância no assunto por causa disso. Hoje tive meu primeiro contato real com a Ciência Política”.

Para Marcos de Brito, coordenador da Apada/DF, “a questão da surdez passa por essa barreira da comunicação desde a família até as instâncias finais da sociedade, que é a política, ainda mais neste ano eleitoral. Logo, é muito importante o acesso à informação. O surdo, para se sentir uma pessoa empoderada, precisa saber quem será seu representante, que mostre que ele tem direitos e eles devem ser cumpridos. De acordo com o Ministério da Saúde, há 10 milhões de deficientes auditivos (surdos) no Brasil, então é muito importante que hajam ações como a que a FRB está realizando, para que eles façam escolhas responsáveis”.

Renato Junqueira, presidente da FRB, encerrou o curso convidando os estudantes à conscientização política: “É essencial nós refletirmos, analisarmos e estabelecermos critérios de avaliação diante do quadro político para não comprometermos o futuro do nosso país. A nossa geração precisa se envolver e participar mais das mudanças”, destacou.

 

Por Ellen Fernandes – Ascom FRB
Fotos: Mazé Rodrigues – Ascom FRB