Seappa, Emater e BB fazem parceria para aumentar crédito para agricultores familiares

Rio de Janeiro (RJ) – Na semana passada, após reunião entre o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento do Rio de Janeiro, Eduardo Lopes (PRB), técnicos da Emater-RJ e representantes do Banco do Brasil (BB), ficou acordado que 14 escritórios da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado (Emater-RJ), vão atuar como correspondente bancário (Coban) do BB para as operações de crédito rural com diversas linhas de financiamentos.

O crédito rural é destinado aos agricultores familiares, que poderão investir e ampliar suas atividades. O Coban possibilitará ao produtor a facilidade de contrair o crédito sem precisar ir até uma agência bancária. Dessa forma o empréstimo será feito por meio da Emater-RJ, que será a porta de entrada para o agricultor familiar, ficando a cargo do Banco do Brasil apenas a análise e aprovação.

Para que os serviços sejam realizados, os técnicos da Emater-Rio vão ser submetidos a um curso de capacitação bancário agropecuário, com instrução junto ao Banco do Brasil e recursos da Secretaria Estadual de Agricultura.

Participaram da reunião, além do secretário da Seappa, Eduardo Lopes, os subsecretários Aguinaldo Balon e Ramon Neves; o presidente da Emater-Rio, Sérgio Lemberck; a diretora administrativa e financeira, Karla Alverca; a gerente estadual de crédito rural da Emater-Rio, Lina Provenzano; o superintendente regional de governo do Banco do Brasil, Cláudio José Oliveira Gomes e demais técnicos da Seappa e Emater-Rio. Durante o encontro o superintendente do BB anunciou também a doação de cem novos computadores.

Segundo Eduardo Lopes, a expectativa é de que, com o Coban, os produtores rurais tenham seus créditos liberados com maior facilidade.

“O objetivo não é apenas aumentar o crédito do agricultor, mas facilitar a vida do produtor. A secretaria está empenhada na rapidez e liberação desse beneficio”, disse

No último ano, o BB financiou R$ 270 milhões em crédito. A meta da Seappa é que este ano, esse número seja três vezes maior. Segundo o Banco do Brasil, inicialmente, é esperada a liberada de R$ 600 milhões pelo Coban. Mas o potencial esperado é superior a R$ 1 bilhão.

No primeiro momento, os 14 escritórios vão funcionar nas regiões Sul e Noroeste Fluminense do Rio de Janeiro. A expectativa é de que a liberação de crédito, por meio do Coban, tenha início em até 150 dias.

Texto e foto: Ascom – Seappa